×

Nós usamos os cookies para ajudar a melhorar o LingQ. Ao visitar o site, você concorda com a nossa política de cookies.


image

Porta Dos Fundos 2019, MÉDICO SUPERSTICIOSO

Então, você está com principiozinho de...

Não gosto de falar.

Eu vou escrever aqui.

Toma.

Gripe?

É que eu não gosto de falar a palavra porque atrai.

Eu vou ter que fazer o que pra...

Se puder rasgar o papel.

Esse papel aqui?

Ô, pronto, diluiu. Foi.

Tá bom, doutor.

E eu vou ter que tomar antibiótico pra essa gripe?

Não, você não vai tomar nada.

Eu vou botar seu nome na porta da Medley.

-Na porta de quê? -É o laboratório que faz ibuprofeno,

faz paracetamol, um monte de genérico.

Doutor, isso é simpatia que você está fazendo? Macumba?

Macumba o pessoal põe o nome na boca do sapo, né.

O que o sapo tem a ver com a gripe?

Eu ponho na Medley. Um laboratório reconhecido,

que faz remédios reconhecidos pela OMS, entendeu?

Então, é medicina, mesmo.

-Pô, doutor, mas isso aí funciona? -Dá três dias pra você ver.

Agora, se depois de três dias não tiver funcionado,

vem aqui que eu dou seu dinheiro de volta.

Então não vou tomar nenhum remédio?

Olha, se você acredita muito nisso, toma uma vitamina C.

Ah, vitamina C é bom, né? Todo mundo fala que é bom pra gripe.

Mas não esquece: é uma pra você, uma pro santo.

Tá? Uma pra você, uma pro santo.

Tá. E eu já começo a tomar hoje?

Não. Não toma.

É pra deixar debaixo do travesseiro. Seis dias, sete noites.

Por isso que acho que mal não vai fazer.

-Não... -Tá, mas...

Isso que você está usando aí é chinelo?

Estou usando chinelo.

E outro médico já falou pra mim que é muita exposição pra bactéria.

Não, não é nem isso, não.

O ruim de chinelo é que tem sempre que lembrar

de nunca deixar ele virado pra baixo.

Que aí é uma energia que caga a sua vida toda.

Boné. Nunca deixar em cima da cama.

Jamais.

Nossa, isso pra saúde é a pior coisa que tem.

Escada.

Atravessa a calçada, faz a volta, nunca passa embaixo.

Anota pra mim, por favor.

-Você come muito sal? -Como, como sal.

Mas a minha pressão está ótima. Eu tiro de manhã, 12 por 8.

Pode comer sal à vontade.

Negócio é só o seguinte: derrubou o sal, jogou pra trás.

Pelo lado direito.

Só isso.

Pô, doutor, vou falar que eu estou até aliviado aqui,

porque eu achei que pudesse ser um negócio pior, sabe?

Pô, lá onde eu moro está tendo surto de tuberculose.

Ei! Não! Não! Não!

Que palavra é essa? Pelo amor de Deus.

Que palavra? Tuberculose?

Sai! Não pode! Palavra proibida aqui dentro.

Ô, doutor, isso aqui é um consultório médico.

Se vier um paciente com essa doença aí

que não pode falar, como é que você vai agir?

Ah, eu pego um papelzinho e escrevo que é gripe.

Hum...

Isso é viagem pra fora.

Ou micose, né.

O Enforcado.

Vamos ter que operar.

É micose, mesmo, garota.

É micose.

Vai viajar pra fora, não.

Toda feliz achando que ia viajar pra fora!

Não, é micose.

Passa Vodol.


Então, você está com principiozinho de...

Não gosto de falar.

Eu vou escrever aqui.

Toma.

Gripe?

É que eu não gosto de falar a palavra porque atrai.

Eu vou ter que fazer o que pra...

Se puder rasgar o papel.

Esse papel aqui?

Ô, pronto, diluiu. Foi.

Tá bom, doutor.

E eu vou ter que tomar antibiótico pra essa gripe?

Não, você não vai tomar nada.

Eu vou botar seu nome na porta da Medley.

-Na porta de quê? -É o laboratório que faz ibuprofeno,

faz paracetamol, um monte de genérico.

Doutor, isso é simpatia que você está fazendo? Macumba?

Macumba o pessoal põe o nome na boca do sapo, né.

O que o sapo tem a ver com a gripe?

Eu ponho na Medley. Um laboratório reconhecido,

que faz remédios reconhecidos pela OMS, entendeu?

Então, é medicina, mesmo.

-Pô, doutor, mas isso aí funciona? -Dá três dias pra você ver.

Agora, se depois de três dias não tiver funcionado,

vem aqui que eu dou seu dinheiro de volta.

Então não vou tomar nenhum remédio?

Olha, se você acredita muito nisso, toma uma vitamina C.

Ah, vitamina C é bom, né? Todo mundo fala que é bom pra gripe.

Mas não esquece: é uma pra você, uma pro santo.

Tá? Uma pra você, uma pro santo.

Tá. E eu já começo a tomar hoje?

Não. Não toma.

É pra deixar debaixo do travesseiro. Seis dias, sete noites.

Por isso que acho que mal não vai fazer.

-Não... -Tá, mas...

Isso que você está usando aí é chinelo?

Estou usando chinelo.

E outro médico já falou pra mim que é muita exposição pra bactéria.

Não, não é nem isso, não.

O ruim de chinelo é que tem sempre que lembrar

de nunca deixar ele virado pra baixo.

Que aí é uma energia que caga a sua vida toda.

Boné. Nunca deixar em cima da cama.

Jamais.

Nossa, isso pra saúde é a pior coisa que tem.

Escada.

Atravessa a calçada, faz a volta, nunca passa embaixo.

Anota pra mim, por favor.

-Você come muito sal? -Como, como sal.

Mas a minha pressão está ótima. Eu tiro de manhã, 12 por 8.

Pode comer sal à vontade.

Negócio é só o seguinte: derrubou o sal, jogou pra trás.

Pelo lado direito.

Só isso.

Pô, doutor, vou falar que eu estou até aliviado aqui,

porque eu achei que pudesse ser um negócio pior, sabe?

Pô, lá onde eu moro está tendo surto de tuberculose.

Ei! Não! Não! Não!

Que palavra é essa? Pelo amor de Deus.

Que palavra? Tuberculose?

Sai! Não pode! Palavra proibida aqui dentro.

Ô, doutor, isso aqui é um consultório médico.

Se vier um paciente com essa doença aí

que não pode falar, como é que você vai agir?

Ah, eu pego um papelzinho e escrevo que é gripe.

Hum...

Isso é viagem pra fora.

Ou micose, né.

O Enforcado.

Vamos ter que operar.

É micose, mesmo, garota.

É micose.

Vai viajar pra fora, não.

Toda feliz achando que ia viajar pra fora!

Não, é micose.

Passa Vodol.