×

Nós usamos os cookies para ajudar a melhorar o LingQ. Ao visitar o site, você concorda com a nossa política de cookies.


image

Brasil (Brazil), Copa do Mundo: como estavam as mulheres nos anos em que o Brasil ganhou?

Copa do Mundo: como estavam as mulheres nos anos em que o Brasil ganhou?

Um País que submete as mulheres a uma tutela masculina e faz com que

o desejo delas só tenha importância se um homem autorizar. Foi num lugar assim que

decidiram fazer a Copa do Mundo de 2022. No Catar,

uma mulher não pode viajar ou comprar um apartamento sem ter autorização de um homem.Mas

para o maior evento do futebol mundial, isso não importa nem nunca importou. E não to só falando de

agora ou da copa passada, na Rússia. Aqui no Brasil, 50 anos atrás as mulheres não podiam

ter um cartão de crédito ou pegar um empréstimo sem um homem para assinar por elas. E a gente

já tinha sido campeão e sede da copa.E é por isso que Hoje eu te conto onde estavam os direitos das

mulheres a cada vez que comemoramos a vitória da seleção brasileira numa copa. Ah mas não tem nada

a ver essa relação, você que tá falando”. Sim, sou eu que to fazendo sim, o nome desse programa

é Gênero em tudo e eu tô aqui pra fazer esse tipo de relação mesmo. Então se você tá chegando agora

já curte o vídeo e se increve no canal que a gente traz problematização toda semana.

1958. Brasil campeão, mulheres proibidas de jogar futebol. O Brasil entra em campo para jogar contra

a Suécia. E ganha por 5x2. É a primeira vitória da seleção numa Copa. Mas enquanto o futebol

masculino decola, o futebol feminino é sufocado. No mesmo ano em que erguemos a taça pela primeira

vez, foi fundado o primeiro time de futebol feminino. É o Araguari, que surgiu promissor,

e no seu primeiro ano já tinha convite pra jogar no méxico. Acontece que desde 1941 existia uma lei

no brasil que dizia: "Às mulheres não se permitirá a prática de desportos incompatíveis com as

condições de sua natureza". Foi o Araguari começar a chamar atenção, que o povo começou a cobrar

que a lei fosse cumprida. A gente tava naquela expectativa, achando que ia mesmo, que ia viajar

bastante, mostrar o que a gente sabia, de repente falaram: não vai mais, tá proibido. Ou seja,

troféu pra eles, proibição para elas. 1962. Brasil bicampeão, mulheres impedidas de trabalhar.

Segunda participação do Brasil na Copa e já veio o bi! E teve vitória feminista nesse ano também. Em

junho de 62, enquanto a seleção levantava a taça pela segunda vez, as mulheres ainda precisavam

pedir autorização pro marido, caso quisessem trabalhar. Mas isso mudou em agosto daquele ano.

Foi quando aprovada a lei que ficou conhecida como “estatuto da mulher casada. Além de não precisarem

de autorização do marido para trabalhar, mulheres passaram a ter direito à herança e a chance de

pedir a guarda dos filhos em casos de separação. E a boa notícia veio acompanhada. Foi também em

1962 que a pílula anticoncepcional chegou ao Brasil. E diferente de uma vitória na Copa,

essa mudança - sim - impactou a vida de todas as mulheres. 1970. Brasil tricampeão,

mulheres perseguidas pela Ditadura. Essa é primeira copa televisionada a cores. Mas

a festa só acontece no México. No Brasil, é o auge da ditadura militar. As mulheres

questionam o sistema e como resposta, são assediadas, violentadas e mortas. Elas são

consideradas duplamente transgressoras primeiro porque desafiam a ordem vigente. Depois, porque

se afastam do papel da mãe e da dona de casa. No mesmo ano que o Brasil levou a taça para casa,

muitas pessoas perderam sua liberdade, a autonomia e a vida por causa do regime militar.

1994. Brasil tetracampeão, mulheres com união estável conquistam direitos.

Em 1994 conquistamos um título importante. Quando venceu da Itália, que também era tri,

o Brasil passou a ser o país do mundo com mais copas do mundo. E ainda é até hoje.

Foi em 94 que os direitos das mulheres em uniões consensuais passou a ser igual ao

de casadas em caso de herança. Uma conquista que veio com uma demora de seis anos. Sim,

porque as uniões consensuais já eram reconhecidas pela Constituição de 1988.

2002. Brasil pentacampeão mundial, virgindade deixa de ser motivo para anular casamento.

De um lado, a seleção comemora o penta. Do outro, o movimento feminista convence o judiciário do

óbvio: homens não podem usar a virgindade da mulher como justificativa para divórcio. Sim,

até 2002, os homens podiam pedir a anulação de um casamento caso descobrisse que a mulher já

tinha tido relação sexual. Foi nesse ano também que a pensão alimentícia entrou no Código Civil.

Quem diria que esse artigo seria o terror de alguns jogadores...São 20 anos dessas vitórias,

e nesse intervalo rolou muita coisa. Teve 7 a 1. Mas também teve lei Maria da Penha,

Lei do feminicídio e o assédio e a importunação sexual passaram a ser considerados crimes.E foi

só agora, em 2022, que as brasileiras deixaram de precisar da autorização do

marido para poder fazer laqueadura. Mas elas ainda não podem decidir por

interromper uma gravidez indesejada. Nesse ano não rolou no Hexa. E a gente torce muito

para que ele venha na próxima copa mas mais ainda a gente torce para que,

antes da próxima copa, a gente tenha avançado na luta por direitos e igualdade. É por isso

que a gente precisa da luta feminista. Apoie a gente no catarse e receba as

nossas recompensas. Um beijo e até semana que vem.


Copa do Mundo: como estavam as mulheres nos anos em que o Brasil ganhou? World Cup: how were women in the years Brazil won?

Um País que submete as mulheres a  uma tutela masculina e faz com que

o desejo delas só tenha importância se um  homem autorizar. Foi num lugar assim que

decidiram fazer a Copa do Mundo de 2022. No Catar,

uma mulher não pode viajar ou comprar um  apartamento sem ter autorização de um homem.Mas

para o maior evento do futebol mundial, isso não  importa nem nunca importou. E não to só falando de

agora ou da copa passada, na Rússia. Aqui no  Brasil, 50 anos atrás as mulheres não podiam

ter um cartão de crédito ou pegar um empréstimo  sem um homem para assinar por elas. E a gente

já tinha sido campeão e sede da copa.E é por isso  que Hoje eu te conto onde estavam os direitos das

mulheres a cada vez que comemoramos a vitória da  seleção brasileira numa copa. Ah mas não tem nada

a ver essa relação, você que tá falando”. Sim,  sou eu que to fazendo sim, o nome desse programa

é Gênero em tudo e eu tô aqui pra fazer esse tipo  de relação mesmo. Então se você tá chegando agora

já curte o vídeo e se increve no canal que  a gente traz problematização toda semana.

1958\. Brasil campeão, mulheres proibidas de jogar  futebol. O Brasil entra em campo para jogar contra

a Suécia. E ganha por 5x2. É a primeira vitória  da seleção numa Copa. Mas enquanto o futebol

masculino decola, o futebol feminino é sufocado.  No mesmo ano em que erguemos a taça pela primeira

vez, foi fundado o primeiro time de futebol  feminino. É o Araguari, que surgiu promissor,

e no seu primeiro ano já tinha convite pra jogar  no méxico. Acontece que desde 1941 existia uma lei

no brasil que dizia: "Às mulheres não se permitirá  a prática de desportos incompatíveis com as

condições de sua natureza". Foi o Araguari começar  a chamar atenção, que o povo começou a cobrar

que a lei fosse cumprida. A gente tava naquela  expectativa, achando que ia mesmo, que ia viajar

bastante, mostrar o que a gente sabia, de repente  falaram: não vai mais, tá proibido. Ou seja,

troféu pra eles, proibição para elas. 1962.  Brasil bicampeão, mulheres impedidas de trabalhar.

Segunda participação do Brasil na Copa e já veio o  bi! E teve vitória feminista nesse ano também. Em

junho de 62, enquanto a seleção levantava a taça  pela segunda vez, as mulheres ainda precisavam

pedir autorização pro marido, caso quisessem  trabalhar. Mas isso mudou em agosto daquele ano.

Foi quando aprovada a lei que ficou conhecida como  “estatuto da mulher casada. Além de não precisarem

de autorização do marido para trabalhar, mulheres  passaram a ter direito à herança e a chance de

pedir a guarda dos filhos em casos de separação.  E a boa notícia veio acompanhada. Foi também em

1962 que a pílula anticoncepcional chegou ao  Brasil. E diferente de uma vitória na Copa,

essa mudança - sim - impactou a vida de  todas as mulheres. 1970. Brasil tricampeão,

mulheres perseguidas pela Ditadura. Essa  é primeira copa televisionada a cores. Mas

a festa só acontece no México. No Brasil,  é o auge da ditadura militar. As mulheres

questionam o sistema e como resposta, são  assediadas, violentadas e mortas. Elas são

consideradas duplamente transgressoras primeiro  porque desafiam a ordem vigente. Depois, porque

se afastam do papel da mãe e da dona de casa. No mesmo ano que o Brasil levou a taça para casa,

muitas pessoas perderam sua liberdade, a  autonomia e a vida por causa do regime militar.

1994\. Brasil tetracampeão, mulheres  com união estável conquistam direitos.

Em 1994 conquistamos um título importante. Quando venceu da Itália, que também era tri,

o Brasil passou a ser o país do mundo com  mais copas do mundo. E ainda é até hoje.

Foi em 94 que os direitos das mulheres em  uniões consensuais passou a ser igual ao

de casadas em caso de herança. Uma conquista  que veio com uma demora de seis anos. Sim,

porque as uniões consensuais já eram  reconhecidas pela Constituição de 1988.

2002\. Brasil pentacampeão mundial, virgindade  deixa de ser motivo para anular casamento.

De um lado, a seleção comemora o penta. Do outro,  o movimento feminista convence o judiciário do

óbvio: homens não podem usar a virgindade da  mulher como justificativa para divórcio. Sim,

até 2002, os homens podiam pedir a anulação de  um casamento caso descobrisse que a mulher já

tinha tido relação sexual. Foi nesse ano também  que a pensão alimentícia entrou no Código Civil.

Quem diria que esse artigo seria o terror de  alguns jogadores...São 20 anos dessas vitórias,

e nesse intervalo rolou muita coisa. Teve  7 a 1. Mas também teve lei Maria da Penha,

Lei do feminicídio e o assédio e a importunação  sexual passaram a ser considerados crimes.E foi

só agora, em 2022, que as brasileiras  deixaram de precisar da autorização do

marido para poder fazer laqueadura.  Mas elas ainda não podem decidir por

interromper uma gravidez indesejada. Nesse  ano não rolou no Hexa. E a gente torce muito

para que ele venha na próxima copa mas mais ainda a gente torce para que,

antes da próxima copa, a gente tenha avançado  na luta por direitos e igualdade. É por isso

que a gente precisa da luta feminista.  Apoie a gente no catarse e receba as

nossas recompensas. Um beijo e até semana  que vem.