×

Nous utilisons des cookies pour rendre LingQ meilleur. En visitant le site vous acceptez nos Politique des cookies.


image

Porta Dos Fundos 2020, TEATRO ONLINE

A peça já vai começar. Vamos só esperar

todo mundo entrar com calma, tá?

Já vamos começar.

Sejam todos muito bem-vindos e bem-vindas.

Sejam todos aqui.

Segunda vez que eu clico nessa merda.

Será que é o link que está escangalhado?

-Oi. -Entrou. Oi, tudo bem?

Eu sou a mãe da Carlinha da produção.

-Tudo bem? -Oi, querida.

Muito bem vinda, tá?

A gente está só esperando todo mundo chegar.

Pode se achegar aí que a peça já vai começar.

Que saudade que eu estava. Muita saudade do teatro.

Vou pedir só pra senhora ir desligando a câmera, o áudio.

Porque pode atrapalhar aqui a gente, tá?

Espera um pouquinho, menino, que a Helena não chegou ainda.

-Que Helena, meu amor? -Eu já estou aqui, Marisa.

Poxa, deixa de ser retardada. Fui eu quem te passei o link.

Tem que começar isso.

Daqui a pouco vai ter Fina Estampa e eu quero ver.

-Ajeita a câmera, amiga. -O quê? Ah, está torta.

Oi, meninas. Bem vindas, tá?

Eu vou pedir pras senhoras realmente

desligarem o áudio e a câmera. Senão, pode atrapalhar

aqui o andamento da composição do teatro.

É no Google? Helena, eu aprendi, esses dias, o Google.

-É ótimo. -Tem muita coisa boa.

A senhora vai achar um botãozinho vermelho no aplicativo

que vai desautorizar a câmera e o áudio.

Agora eu estou me vendo bem grande.

Meu Deus, nossa, que papada horrorosa.

Como é que eu vou tirar isso aqui?

Mas você está usando aquela misturinha que eu te passei?

Que repuxa a pele?

Aquela a base de clara de ovo, Marisa.

-Eu estou. -Agora só falta o microfone.

É todo dia, minha filha.

Todo dia.

A gente, realmente, continua escutando vocês, tá?

-Desculpa. Vou desligar aqui. -Estou ouvindo você, Helena.

Desligou? Oi. Teste. Está desligado?

Acho que agora foi.

-Foi. -Maravilha.

Não, não foi. Deixa.

Vamos seguir reto.

Salve Dionísio, salve a força do teatro.

Vamos começar. Muito obrigado.

Eu conto com a contribuição de vocês.

No dia 16 de abril, o doutor Richard saiu

do seu consultório devagar.

E caminhou.

-Marisa. -Oi.

Você não está achando esse menino

a cara do filho da Jandira?

-Meu Deus. -Lembra dele?

-Gente -Da Jandira manicure.

Cuspido e escarrado.

-Como que é o nome dele? -Não é?

-Será que é ele? Era o Adeíldo, né? -Adílio.

-Ele fazia animação de festa. -Adílio.

Senhoras, por favor.

Acabou cortando a minha concentração.

Acabou cortando a coisa do teatro.

Eu vou pedir, por favor, a contribuição das senhoras.

-Desculpa, meu filho. -Ai, gente, ele falou comigo.

É interativa a peça. Meu Deus, que vergonha.

E olha que eu já fiz teatro na escola.

Não, não é interativa. Eu estou falando aqui

direto com a senhora mesmo.

Ai, desculpa. Eu não queria atrapalhar.

É que a gente é nova nesse negócio de teatro online.

A gente sabe que você não queria estar aí também.

Vamos ajudar o menino.

Vamos começar de novo do zero?

Vou apagar as luzes e a gente começa essa peça,

esse espetáculo que está com muita força.

Está com muita verdade aqui pra vocês.

Marisa, depois dá uma olhadinha no zap

que eu te mandei uma mensagem lá.

Eu desliguei o celular, Helena. O garoto pediu.

Vem cá, você não está achando

que o filho da Jandira está muito magro, não?

Será que é Covid?

Não é Covid, não. Isso aí é coisa de arte, Helena.

É teatro contemporâneo que eles estão fazendo.

AIDS? Não. Olha, eu aposto que tem muito dinheiro

-daquela Lei Adnet nessa coisa aí. -Que perigo, meu Deus.

Vou tirar uma foto.

Eu vou mandar pra aquele menino que era da Malhação

-e que agora é ministro. -Ah, não, gente, gente.

-Não dá, não. -O print, o print.

Assim eu não consigo, tá? Não vai dar pra mim, não.

Que menina bonita. Quem é essa atriz?

Eu sou da plateia que nem a senhora.

Plateia e está se metendo?

Cadê a produção pra tirar a menina daí?

-Filha... -Puta que pariu.

Gente, tem como segurar o teatrinho rapidinho?

Porque a minha incontinência resolveu voltar.

Eu estou toda mijada.

E foi aí que ele percebeu...

que o amor é eterno.

Ué, cadê?

Ué, cadê todo mundo?

-Ué? Já acabou? -Meu Deus.

Gente, eu acho que eu dei uma dormida aqui.

Poxa.

E agora?

Bom, Helena, meu filho deixou aberto

no computador dele um outro site.

De teatro também. Deixa eu mostrar.

É "Xvideos".

Me passa o link. Vamos lá ver. "Xvideos"?

Deve ser de culinária isso, "Xvideos".

Deve ser de sanduíche. Vamos ver.


A peça já vai começar. Vamos só esperar

todo mundo entrar com calma, tá?

Já vamos começar.

Sejam todos muito bem-vindos e bem-vindas.

Sejam todos aqui.

Segunda vez que eu clico nessa merda.

Será que é o link que está escangalhado?

-Oi. -Entrou. Oi, tudo bem?

Eu sou a mãe da Carlinha da produção.

-Tudo bem? -Oi, querida.

Muito bem vinda, tá?

A gente está só esperando todo mundo chegar.

Pode se achegar aí que a peça já vai começar.

Que saudade que eu estava. Muita saudade do teatro.

Vou pedir só pra senhora ir desligando a câmera, o áudio.

Porque pode atrapalhar aqui a gente, tá?

Espera um pouquinho, menino, que a Helena não chegou ainda.

-Que Helena, meu amor? -Eu já estou aqui, Marisa.

Poxa, deixa de ser retardada. Fui eu quem te passei o link.

Tem que começar isso.

Daqui a pouco vai ter Fina Estampa e eu quero ver.

-Ajeita a câmera, amiga. -O quê? Ah, está torta.

Oi, meninas. Bem vindas, tá?

Eu vou pedir pras senhoras realmente

desligarem o áudio e a câmera. Senão, pode atrapalhar

aqui o andamento da composição do teatro.

É no Google? Helena, eu aprendi, esses dias, o Google.

-É ótimo. -Tem muita coisa boa.

A senhora vai achar um botãozinho vermelho no aplicativo

que vai desautorizar a câmera e o áudio.

Agora eu estou me vendo bem grande.

Meu Deus, nossa, que papada horrorosa.

Como é que eu vou tirar isso aqui?

Mas você está usando aquela misturinha que eu te passei?

Que repuxa a pele?

Aquela a base de clara de ovo, Marisa.

-Eu estou. -Agora só falta o microfone.

É todo dia, minha filha.

Todo dia.

A gente, realmente, continua escutando vocês, tá?

-Desculpa. Vou desligar aqui. -Estou ouvindo você, Helena.

Desligou? Oi. Teste. Está desligado?

Acho que agora foi.

-Foi. -Maravilha.

Não, não foi. Deixa.

Vamos seguir reto.

Salve Dionísio, salve a força do teatro.

Vamos começar. Muito obrigado.

Eu conto com a contribuição de vocês.

No dia 16 de abril, o doutor Richard saiu

do seu consultório devagar.

E caminhou.

-Marisa. -Oi.

Você não está achando esse menino

a cara do filho da Jandira?

-Meu Deus. -Lembra dele?

-Gente -Da Jandira manicure.

Cuspido e escarrado.

-Como que é o nome dele? -Não é?

-Será que é ele? Era o Adeíldo, né? -Adílio.

-Ele fazia animação de festa. -Adílio.

Senhoras, por favor.

Acabou cortando a minha concentração.

Acabou cortando a coisa do teatro.

Eu vou pedir, por favor, a contribuição das senhoras.

-Desculpa, meu filho. -Ai, gente, ele falou comigo.

É interativa a peça. Meu Deus, que vergonha.

E olha que eu já fiz teatro na escola.

Não, não é interativa. Eu estou falando aqui

direto com a senhora mesmo.

Ai, desculpa. Eu não queria atrapalhar.

É que a gente é nova nesse negócio de teatro online.

A gente sabe que você não queria estar aí também.

Vamos ajudar o menino.

Vamos começar de novo do zero?

Vou apagar as luzes e a gente começa essa peça,

esse espetáculo que está com muita força.

Está com muita verdade aqui pra vocês.

Marisa, depois dá uma olhadinha no zap

que eu te mandei uma mensagem lá.

Eu desliguei o celular, Helena. O garoto pediu.

Vem cá, você não está achando

que o filho da Jandira está muito magro, não?

Será que é Covid?

Não é Covid, não. Isso aí é coisa de arte, Helena.

É teatro contemporâneo que eles estão fazendo.

AIDS? Não. Olha, eu aposto que tem muito dinheiro

-daquela Lei Adnet nessa coisa aí. -Que perigo, meu Deus.

Vou tirar uma foto.

Eu vou mandar pra aquele menino que era da Malhação

-e que agora é ministro. -Ah, não, gente, gente.

-Não dá, não. -O print, o print.

Assim eu não consigo, tá? Não vai dar pra mim, não.

Que menina bonita. Quem é essa atriz?

Eu sou da plateia que nem a senhora.

Plateia e está se metendo?

Cadê a produção pra tirar a menina daí?

-Filha... -Puta que pariu.

Gente, tem como segurar o teatrinho rapidinho?

Porque a minha incontinência resolveu voltar.

Eu estou toda mijada.

E foi aí que ele percebeu...

que o amor é eterno.

Ué, cadê?

Ué, cadê todo mundo?

-Ué? Já acabou? -Meu Deus.

Gente, eu acho que eu dei uma dormida aqui.

Poxa.

E agora?

Bom, Helena, meu filho deixou aberto

no computador dele um outro site.

De teatro também. Deixa eu mostrar.

É "Xvideos".

Me passa o link. Vamos lá ver. "Xvideos"?

Deve ser de culinária isso, "Xvideos".

Deve ser de sanduíche. Vamos ver.