×

Nous utilisons des cookies pour rendre LingQ meilleur. En visitant le site vous acceptez nos Politique des cookies.


image

Porta Dos Fundos 2020, NÃO MENTE

Com licença, senhor. Desculpe inco...

com licença, senhor! Desculpe incomodar.

O senhor tem algum trocado pra me arrumar?

Não. Estou sem nada. Desculpa.

-Nada? -É, estou sem nada.

O senhor vai pra um restaurante sem nada?

Não, eu vim no restaurante com cartão.

Opa! Desculpa, amigo,

mas ouvi você falar que só está com cartão.

Aqui a gente não aceita cartão, não, tá?

-Eu vou pagar no dinheiro, então. -Ah, tá.

Ah! Então o senhor tem dinheiro?

Mas é só o que me faltava

ter que dar satisfação da minha vida financeira pra você!

Além de mentiroso, é grosso.

Eu não estou sendo grosso. Eu estou querendo te dizer

que existe dinheiro na minha vida,

mas não tenho dinheiro pra doar pra você.

Tá certo. O senhor está querendo dizer: "Não quero".

-Não é isso. -"Prefiro que morra de fome

enquanto eu como aqui na sua frente”.

Em vez de procurar, catar qualquer dois reais aí

que vai gastar não sei nem como...

-Eu vou te dar dois reais. -Ah, achou dois reais!

-Não. Achei cinco reais, olha aqui. -Gente!

De nada pra dois, de dois pra cinco. Realmente...

Eu não estou entendendo o que você quer de mim.

Que você seja verdadeiro! Tenha compaixão, olhe nos olhos.

-Poxa, desculpa. Eu não... -Mente na cara dura,

depois quer comprar a gente com 5 reais.

Desculpa. Não quis te magoar, mesmo.

Nossa! Morador de rua tem coração,

-tem sentimento. -Com licença.

Amigo, desculpa.

Embrulha pra ela. Ela está com fome.

Ah, pronto.

Agora eu tenho que querer macarrão ao molho pesto

porque é isso que você acha que eu mereço, a sua sobra.

O senhor me traz o cardápio

pra eu dar uma olhadinha, por favor.

Um bufê japonês sensacional.

Amigo, olha, bufê japonês.

Vai querer? 10% de desconto aí, viu?

Tudo bem aí, cara, com você? Está...

Está tudo bem.

Acho que está um pouco suado.

-Tá pálido. -Um calor, né?

-Esse sol não dá. -Não almoçou, não, né?

Não, não. Mas o almoço aqui é ótimo. Se você quiser...

-Eu vou te ajudar. -É?

-Vou te ajudar. -Serião, bicho?

-Porra. -Todo mundo é igual, né?

Todo mundo tem sentimento, não é?

Olha aqui.

-Tamo junto, cara. Me dá um abraço. -Porra, que isso, cara!

Tamo junto. Cadê? Olha o almoço!


Com licença, senhor. Desculpe inco...

com licença, senhor! Desculpe incomodar.

O senhor tem algum trocado pra me arrumar?

Não. Estou sem nada. Desculpa.

-Nada? -É, estou sem nada.

O senhor vai pra um restaurante sem nada?

Não, eu vim no restaurante com cartão.

Opa! Desculpa, amigo,

mas ouvi você falar que só está com cartão.

Aqui a gente não aceita cartão, não, tá?

-Eu vou pagar no dinheiro, então. -Ah, tá.

Ah! Então o senhor tem dinheiro?

Mas é só o que me faltava

ter que dar satisfação da minha vida financeira pra você!

Além de mentiroso, é grosso.

Eu não estou sendo grosso. Eu estou querendo te dizer

que existe dinheiro na minha vida,

mas não tenho dinheiro pra doar pra você.

Tá certo. O senhor está querendo dizer: "Não quero".

-Não é isso. -"Prefiro que morra de fome

enquanto eu como aqui na sua frente”.

Em vez de procurar, catar qualquer dois reais aí

que vai gastar não sei nem como...

-Eu vou te dar dois reais. -Ah, achou dois reais!

-Não. Achei cinco reais, olha aqui. -Gente!

De nada pra dois, de dois pra cinco. Realmente...

Eu não estou entendendo o que você quer de mim.

Que você seja verdadeiro! Tenha compaixão, olhe nos olhos.

-Poxa, desculpa. Eu não... -Mente na cara dura,

depois quer comprar a gente com 5 reais.

Desculpa. Não quis te magoar, mesmo.

Nossa! Morador de rua tem coração,

-tem sentimento. -Com licença.

Amigo, desculpa.

Embrulha pra ela. Ela está com fome.

Ah, pronto.

Agora eu tenho que querer macarrão ao molho pesto

porque é isso que você acha que eu mereço, a sua sobra.

O senhor me traz o cardápio

pra eu dar uma olhadinha, por favor.

Um bufê japonês sensacional.

Amigo, olha, bufê japonês.

Vai querer? 10% de desconto aí, viu?

Tudo bem aí, cara, com você? Está...

Está tudo bem.

Acho que está um pouco suado.

-Tá pálido. -Um calor, né?

-Esse sol não dá. -Não almoçou, não, né?

Não, não. Mas o almoço aqui é ótimo. Se você quiser...

-Eu vou te ajudar. -É?

-Vou te ajudar. -Serião, bicho?

-Porra. -Todo mundo é igual, né?

Todo mundo tem sentimento, não é?

Olha aqui.

-Tamo junto, cara. Me dá um abraço. -Porra, que isso, cara!

Tamo junto. Cadê? Olha o almoço!