×

Мы используем cookie-файлы, чтобы сделать работу LingQ лучше. Находясь на нашем сайте, вы соглашаетесь на наши правила обработки файлов «cookie».


image

Em Poucas Palavras – Kurzgesagt (Brazilian), Como os dinossauros pareciam DE VERDADE?

Como os dinossauros pareciam DE VERDADE?

O passado é uma terra vasta e misteriosa que começa no Big Bang e termina no presente,

se expandindo a cada momento que passa.

É o lar de tudo o que veio antes, a chave para entender o nosso presente.

Aqui encontramos as criaturas mais incríveis que já passaram pelo nosso planeta, centenas

de milhões de espécies tão diversas que sequer conseguimos imaginar.

Infelizmente, o passado guarda cuidadosamente seus segredos.

Embora já tenhamos bastante conhecimento sobre o passado, ainda há muita coisa que

não sabemos.

E pior, provavelmente ainda há mais coisas que nem imaginamos que não sabemos.

Pense na maravilha da vida: Atualmente, conhecemos cerca de 1,5 milhão

de espécies eucarióticas, mas podem existir até 10 milhões delas vivas hoje em dia.

E apesar de adicionarmos cerca de 15.000 novas espécies ao nosso conhecimento coletivo a

cada ano, a maior parte da vida na Terra ainda não foi descoberta.

Isso é só o que existe hoje.

Estima-se que quatro bilhões de espécies surgiram em nosso planeta em eras passadas.

Mas pelo menos 99% delas morreram muito antes de os humanos falarem as primeiras palavras.

A grande maioria das espécies que já existiram foram tão completamente eliminadas que se

tornaram parte da porção "totalmente desconhecida" do passado, foram perdidas para sempre.

Ou será que não?

Será que poderíamos usar a ciência e a imaginação para vislumbrar uma sombra desse

passado inacessível?

Bem, vamos começar com o que JÁ sabemos.

Para aprender sobre criaturas do passado, precisamos de fósseis, qualquer tipo de restos

preservados das eras geológicas passadas: ossos ou conchas, impressões ou pegadas,

coisas preservadas em âmbar.

O conjunto de todos os fósseis da Terra chama-se registro fóssil, a mais importante janela

para o passado que podemos ter.

Para um animal morto fossilizar é necessária a junção de vários fatores:

ambiente, tempo e condições adequados.

Então, o fóssil precisa sobreviver por milhões ou centenas de milhões de anos, voltar à

superfície e ser descoberto antes que os processos naturais o dissolvam.

Portanto, é quase um milagre que tenhamos o que temos hoje e saibamos tanta coisa atualmente.

Veja o exemplo dos dinossauros: eles foram um dos maiores e mais bem-sucedidos grupos

de animais da Terra por cerca de 165 milhões de anos - além de gerarem animações muito

divertidas.

Mas como eles realmente eram e o que não estamos vendo?

Nos últimos 200 anos, encontramos dezenas de milhares de fósseis de mais de 1.000 espécies

de dinossauros.

Atualmente, vivemos a era de ouro das descobertas, descobrindo cerca de 50 espécies de dinossauros

a cada ano, expandindo o que sabemos e o que sabemos que não sabemos sobre eles, o que

é incrível.

Mas também nos mostra o quanto perdemos do nosso passado para sempre.

Imagine se, de todos os animais que viveram nos últimos 50 milhões de anos, escolhêssemos

aleatoriamente 10 mil indivíduos de mil espécies para fossilizar.

Pense no quanto se perderia ou no que pareceria bizarro demais para ser verdade.

Como a girafa, um animal amarelo com marrom, parecendo um filhote de cavalo com antílope,

com um pescoço longo e dois chifres peludos.

Quantos "dinossauros-girafa" existiram?

Animais tão estranhos, selecionados para nichos ecológicos tão específicos, cujos

corpos a evolução moldou de maneira tão absurda, hoje poderiam parecer inventados.

Sabemos que muitas espécies estão perdidas para sempre apenas por causa do ambiente em

que viviam.

Por exemplo, selvas exuberantes basicamente impedem a fossilização, já que as chances

de um animal ser enterrado são baixas.

Necrófagos de todos os tamanhos consomem animais recém-falecidos rapidamente, e o

solo costuma ser tão ácido que os ossos são dissolvidos.

Por isso, quase não existem fósseis de dinossauros que viviam nas selvas.

Hoje, metade das espécies conhecidas vive no que resta das florestas tropicais, que

ocupam 2% da área terrestre da Terra.

Há milhões de anos, quando os dinossauros andavam pela Terra, as selvas cobriam áreas

muito maiores.

Então, além de alguns insetos e outros pequenos animais presos em âmbar, deve haver milhões

de espécies que surgiram e desapareceram, sem deixar vestígios, presas nas profundezas

do totalmente desconhecido.

Mas no geral, a biologia nos engana.

Olhe para seu corpo: ele é principalmente matéria mole, viscosa e macia, que não se

preserva bem.

O que dura mais tempo são ossos cristalizados.

Por isso, a maioria dos fósseis de dinossauros são ossos ou dentes, geralmente fragmentos,

não esqueletos inteiros.

Isso significa que praticamente todos os animais sem ossos ou casca não existem em registro

fóssil.

Ao olhar a impressionante diversidade de animais estranhos, como vermes, águas-vivas e lesmas

que existem hoje, podemos apenas especular o que perdemos.

Felizmente, muitas espécies macias e gosmentas também nos deixaram uma incrível diversidade

de conchas que contam muito sobre o nosso passado, então, pelo menos temos isso.

Ainda assim, por mais que tentemos imaginar todas as espécies invertebradas que podem

ter existido no último meio bilhão de anos, certamente não conseguiremos.

Isso também não significa que recriar algo baseado em ossos fossilizados seja fácil.

A maneira como imaginamos que os dinossauros eram mudou muito nos últimos anos.

Antes, as ilustrações tinham aparência ossuda e minimalista, com um sorriso cheio

de dentes para indicar ferocidade e perigo.

Mas se, só por diversão, desenharmos os animais de hoje da mesma maneira, com base

em seus esqueletos teremos as criaturas mais bizarras.

Elefantes, cisnes, babuínos que parecem monstros de filme de terror.

Então, assim como os animais atuais, deveríamos imaginar os dinossauros com muito mais tecido

mole, gordurinha na barriga ou no peito, partes molinhas, como pelancas, lábios e gengivas

e alguns traços mais pronunciados, que os deixariam com uma aparência mais amigável.

Alguns traços acabam deixando marcas que podemos identificar nos esqueletos de animais

extintos.

Para isso, animais vivos com as mesmas características são muito úteis.

O mesmo acontece com a cor.

Por sabermos como são as penas dos pássaros atuais, a tecnologia moderna combinada com

os raríssimos fósseis de restos preservados de penas nos dá um vislumbre das cores reais

dos dinossauros extintos.

Sabemos que o pequeno Sinosauropteryx tinha uma cauda listrada, e que seu amiguinho Anchiornis

huxleyi era branco e preto, com lindas penas vermelhas ao redor da cabeça.

Ainda assim, não temos ideia das verdadeiras cores da grande maioria das espécies antigas

extintas.

Mas sabemos como são os dinossauros modernos: as aves.

E é aqui onde encontramos a mais incrível variedade.

Alguns dinossauros teriam tentado se camuflar, outros podem ter tido esquemas de cores agressivas,

para atrair parceiros ou parecer perigosos.

Alguns podem ter tido adornos marcantes, bicos coloridos,

e podem ter tido listras ou padrões.

Também sabemos pouco sobre o comportamento dos dinossauros.

De novo, tiramos conclusões baseadas em animais existentes.

Por exemplo, mesmo superpredadores, como os leões, passam muito tempo descansando, brincando,

abraçando e lambendo uns aos outros.

Por que os dinossauros seriam diferentes?

Quando encontramos o crânio do T-Rex, com seus dentes poderosos e, talvez a mordida

mais forte entre os animais terrestres, imaginamos um monstro estúpido e feroz.

Mas novas tecnologias de análise mostram que a relação cérebro-corpo do tiranossauro

era maior que em outros carnívoros gigantes.

Ele provavelmente tinha audição, visão e olfato muito aguçados.

Com toda a certeza, não era um animal estúpido.

Talvez o T-Rex tenha sido um bicho fofinho que passava o tempo brincando ou impressionando

os outros, quando não estava com fome.

Da mesma forma, os chifres e escudos fizeram os ceratopsídeos parecerem lutadores natos,

mas provavelmente foram mais do que isso.

Baseado no comportamento e nas danças que alguns animais atuais fazem para acasalar,

talvez seus escudos fossem supercoloridos, e ele dançasse para seus parceiros como muitos

pássaros fazem hoje.

Quão imensamente incríveis essas criaturas devem ter sido.

E que perda é para nós, que não pudemos ver isso tudo com nossos próprios olhos.

E a perda é ainda maior se pensarmos que há tantas coisas que nunca saberemos sobre

todas as criaturas absurdas e tão belas que desapareceram sem deixar vestígios.

Mas a vida é assim – o tempo avança sem qualquer preocupação com nossos sentimentos,

e o passado se expande a cada momento que passa.

A maioria dos animais selvagens que existe atualmente provavelmente não deixará fósseis

para trás, e simplesmente desaparecerá para sempre.

Mas nós ainda podemos fazer alguma coisa – em vez de acelerar a extinção que estamos

acompanhando, poderíamos nos tornar os guardiões da vida onde ela existe.

Se possível na natureza, senão, em museus, filmes e nas nossas mentes.

Porque por mais incrível e fascinante que seja nossa imaginação sobre os animais que

fazem parte do totalmente desconhecido, é ainda melhor testemunhar os animais no

presente, na Terra que realmente habitamos, onde podemos viver a vida conforme ela acontece.

Se quiser continuar admirando e apreciando este mundo incrível em que vivemos, você

pode fazer isso com um dos nossos produtos com o tema Vida & Natureza e ser um apoiador

do Kurzgesagt.

Como o nosso mapa de evolução, pôsteres com paisagens ou que brilham no escuro!

Colocamos nos produtos o mesmo cuidado e amor que colocamos em nossos vídeos.

Desde os nossos cadernos até as pelúcias, bottons, moletons e camisetas.

Tudo isso para despertar sua curiosidade pelo espaço, pela natureza e pela vida.

Esta é também a melhor forma de apoiar o que fazemos neste canal.

Mas, por favor, não se sinta obrigado!

Assistir e compartilhar já nos ajuda muito, e somos muito gratos por vocês se importarem

com o que fazemos aqui.

Obrigada por assistir.


Como os dinossauros pareciam DE VERDADE? Wie sahen die Dinosaurier wirklich aus? What did dinosaurs really look like? ¿Cómo eran realmente los dinosaurios? À quoi ressemblaient vraiment les dinosaures ? Che aspetto avevano davvero i dinosauri? 恐竜は本当はどんな姿をしていたのか? Hoe zagen dinosaurussen er echt uit? Jak naprawdę wyglądały dinozaury? Как выглядели динозавры на самом деле? Hur såg dinosaurierna egentligen ut? Dinozorlar gerçekten neye benziyordu? 恐龙到底长什么样? 恐龍到底是什麼樣子?

O passado é uma terra vasta e misteriosa que começa no Big Bang e termina no presente, The past is a vast and mysterious land that begins in the Big Bang and ends in the present, El pasado es una tierra vasta y misteriosa que comienza con el Big Bang y termina en el presente,

se expandindo a cada momento que passa. expanding with each passing moment.

É o lar de tudo o que veio antes, a chave para entender o nosso presente. It is the home of all that came before, the key to understanding our present.

Aqui encontramos as criaturas mais incríveis que já passaram pelo nosso planeta, centenas Here we find the most amazing creatures that have ever walked our planet, hundreds

de milhões de espécies tão diversas que sequer conseguimos imaginar. of millions of species so diverse that we cannot even imagine.

Infelizmente, o passado guarda cuidadosamente seus segredos. Unfortunately, the past carefully keeps its secrets.

Embora já tenhamos bastante conhecimento sobre o passado, ainda há muita coisa que

não sabemos. we don't know.

E pior, provavelmente ainda há mais coisas que nem imaginamos que não sabemos. And worse, there are probably even more things that we can't even imagine that we don't know.

Pense na maravilha da vida: Atualmente, conhecemos cerca de 1,5 milhão Think of the wonder of life: We currently know about 1.5 million

de espécies eucarióticas, mas podem existir até 10 milhões delas vivas hoje em dia. of eukaryotic species, but there could be up to 10 million of them alive today.

E apesar de adicionarmos cerca de 15.000 novas espécies ao nosso conhecimento coletivo a Y a pesar de añadir unas 15.000 nuevas especies a nuestro conocimiento colectivo, la

cada ano, a maior parte da vida na Terra ainda não foi descoberta. cada año, aún no se ha descubierto la mayor parte de la vida en la Tierra.

Isso é só o que existe hoje. This is only what exists today. Eso es todo lo que existe hoy en día.

Estima-se que quatro bilhões de espécies surgiram em nosso planeta em eras passadas. It is estimated that four billion species have appeared on our planet in ages past.

Mas pelo menos 99% delas morreram muito antes de os humanos falarem as primeiras palavras.

A grande maioria das espécies que já existiram foram tão completamente eliminadas que se La inmensa mayoría de las especies que han existido jamás han sido tan completamente aniquiladas que

tornaram parte da porção "totalmente desconhecida" do passado, foram perdidas para sempre.

Ou será que não?

Será que poderíamos usar a ciência e a imaginação para vislumbrar uma sombra desse Could we use science and imagination to glimpse a shadow of that?

passado inacessível? inaccessible past?

Bem, vamos começar com o que JÁ sabemos.

Para aprender sobre criaturas do passado, precisamos de fósseis, qualquer tipo de restos To learn about creatures from the past, we need fossils, any kind of remains

preservados das eras geológicas passadas: ossos ou conchas, impressões ou pegadas, conservados de épocas geológicas pasadas: huesos o conchas, huellas o pisadas,

coisas preservadas em âmbar.

O conjunto de todos os fósseis da Terra chama-se registro fóssil, a mais importante janela The collection of all the fossils on Earth is called the fossil record, the most important window

para o passado que podemos ter. for the past that we may have.

Para um animal morto fossilizar é necessária a junção de vários fatores: For a dead animal to fossilize, several factors must come together:

ambiente, tempo e condições adequados. the right environment, time and conditions.

Então, o fóssil precisa sobreviver por milhões ou centenas de milhões de anos, voltar à

superfície e ser descoberto antes que os processos naturais o dissolvam.

Portanto, é quase um milagre que tenhamos o que temos hoje e saibamos tanta coisa atualmente. So it's almost a miracle that we have what we have today and know so much today.

Veja o exemplo dos dinossauros: eles foram um dos maiores e mais bem-sucedidos grupos

de animais da Terra por cerca de 165 milhões de anos - além de gerarem animações muito of Earth's animals for about 165 million years - as well as generating very interesting animations.

divertidas.

Mas como eles realmente eram e o que não estamos vendo? But what did they really look like and what are we not seeing?

Nos últimos 200 anos, encontramos dezenas de milhares de fósseis de mais de 1.000 espécies

de dinossauros.

Atualmente, vivemos a era de ouro das descobertas, descobrindo cerca de 50 espécies de dinossauros

a cada ano, expandindo o que sabemos e o que sabemos que não sabemos sobre eles, o que

é incrível.

Mas também nos mostra o quanto perdemos do nosso passado para sempre.

Imagine se, de todos os animais que viveram nos últimos 50 milhões de anos, escolhêssemos

aleatoriamente 10 mil indivíduos de mil espécies para fossilizar. randomly 10,000 individuals from 1,000 species to fossilize.

Pense no quanto se perderia ou no que pareceria bizarro demais para ser verdade. Think about how much would be lost or what would seem too bizarre to be true. Подумайте о том, сколько всего будет потеряно или что покажется слишком странным, чтобы быть правдой.

Como a girafa, um animal amarelo com marrom, parecendo um filhote de cavalo com antílope,

com um pescoço longo e dois chifres peludos.

Quantos "dinossauros-girafa" existiram? Сколько было "динозавров-жирафов"?

Animais tão estranhos, selecionados para nichos ecológicos tão específicos, cujos

corpos a evolução moldou de maneira tão absurda, hoje poderiam parecer inventados. тела эволюция сформировала таким абсурдным образом, что сегодня они могут показаться выдуманными.

Sabemos que muitas espécies estão perdidas para sempre apenas por causa do ambiente em

que viviam.

Por exemplo, selvas exuberantes basicamente impedem a fossilização, já que as chances Например, пышные джунгли в принципе препятствуют окаменению, поскольку вероятность

de um animal ser enterrado são baixas.

Necrófagos de todos os tamanhos consomem animais recém-falecidos rapidamente, e o Некрофаги всех размеров быстро поедают недавно умерших животных, и

solo costuma ser tão ácido que os ossos são dissolvidos. Почва часто настолько кислая, что кости растворяются.

Por isso, quase não existem fósseis de dinossauros que viviam nas selvas.

Hoje, metade das espécies conhecidas vive no que resta das florestas tropicais, que

ocupam 2% da área terrestre da Terra.

Há milhões de anos, quando os dinossauros andavam pela Terra, as selvas cobriam áreas

muito maiores.

Então, além de alguns insetos e outros pequenos animais presos em âmbar, deve haver milhões

de espécies que surgiram e desapareceram, sem deixar vestígios, presas nas profundezas

do totalmente desconhecido.

Mas no geral, a biologia nos engana. Mas no geral, a biologia nos engana.

Olhe para seu corpo: ele é principalmente matéria mole, viscosa e macia, que não se Look at your body: it's mostly soft, viscous matter, which doesn't get

preserva bem.

O que dura mais tempo são ossos cristalizados. What lasts longer are crystallized bones.

Por isso, a maioria dos fósseis de dinossauros são ossos ou dentes, geralmente fragmentos,

não esqueletos inteiros.

Isso significa que praticamente todos os animais sem ossos ou casca não existem em registro

fóssil.

Ao olhar a impressionante diversidade de animais estranhos, como vermes, águas-vivas e lesmas

que existem hoje, podemos apenas especular o que perdemos.

Felizmente, muitas espécies macias e gosmentas também nos deixaram uma incrível diversidade

de conchas que contam muito sobre o nosso passado, então, pelo menos temos isso.

Ainda assim, por mais que tentemos imaginar todas as espécies invertebradas que podem

ter existido no último meio bilhão de anos, certamente não conseguiremos.

Isso também não significa que recriar algo baseado em ossos fossilizados seja fácil.

A maneira como imaginamos que os dinossauros eram mudou muito nos últimos anos.

Antes, as ilustrações tinham aparência ossuda e minimalista, com um sorriso cheio

de dentes para indicar ferocidade e perigo.

Mas se, só por diversão, desenharmos os animais de hoje da mesma maneira, com base

em seus esqueletos teremos as criaturas mais bizarras.

Elefantes, cisnes, babuínos que parecem monstros de filme de terror.

Então, assim como os animais atuais, deveríamos imaginar os dinossauros com muito mais tecido

mole, gordurinha na barriga ou no peito, partes molinhas, como pelancas, lábios e gengivas mole, gordurinha na barriga ou no peito, partes molinhas, como pelancas, lábios e gengivas

e alguns traços mais pronunciados, que os deixariam com uma aparência mais amigável.

Alguns traços acabam deixando marcas que podemos identificar nos esqueletos de animais

extintos.

Para isso, animais vivos com as mesmas características são muito úteis.

O mesmo acontece com a cor.

Por sabermos como são as penas dos pássaros atuais, a tecnologia moderna combinada com

os raríssimos fósseis de restos preservados de penas nos dá um vislumbre das cores reais

dos dinossauros extintos.

Sabemos que o pequeno Sinosauropteryx tinha uma cauda listrada, e que seu amiguinho Anchiornis

huxleyi era branco e preto, com lindas penas vermelhas ao redor da cabeça.

Ainda assim, não temos ideia das verdadeiras cores da grande maioria das espécies antigas

extintas.

Mas sabemos como são os dinossauros modernos: as aves.

E é aqui onde encontramos a mais incrível variedade.

Alguns dinossauros teriam tentado se camuflar, outros podem ter tido esquemas de cores agressivas,

para atrair parceiros ou parecer perigosos.

Alguns podem ter tido adornos marcantes, bicos coloridos,

e podem ter tido listras ou padrões.

Também sabemos pouco sobre o comportamento dos dinossauros.

De novo, tiramos conclusões baseadas em animais existentes.

Por exemplo, mesmo superpredadores, como os leões, passam muito tempo descansando, brincando,

abraçando e lambendo uns aos outros.

Por que os dinossauros seriam diferentes?

Quando encontramos o crânio do T-Rex, com seus dentes poderosos e, talvez a mordida

mais forte entre os animais terrestres, imaginamos um monstro estúpido e feroz.

Mas novas tecnologias de análise mostram que a relação cérebro-corpo do tiranossauro

era maior que em outros carnívoros gigantes.

Ele provavelmente tinha audição, visão e olfato muito aguçados.

Com toda a certeza, não era um animal estúpido.

Talvez o T-Rex tenha sido um bicho fofinho que passava o tempo brincando ou impressionando

os outros, quando não estava com fome.

Da mesma forma, os chifres e escudos fizeram os ceratopsídeos parecerem lutadores natos,

mas provavelmente foram mais do que isso.

Baseado no comportamento e nas danças que alguns animais atuais fazem para acasalar,

talvez seus escudos fossem supercoloridos, e ele dançasse para seus parceiros como muitos

pássaros fazem hoje.

Quão imensamente incríveis essas criaturas devem ter sido. How immensely incredible these creatures must have been.

E que perda é para nós, que não pudemos ver isso tudo com nossos próprios olhos.

E a perda é ainda maior se pensarmos que há tantas coisas que nunca saberemos sobre

todas as criaturas absurdas e tão belas que desapareceram sem deixar vestígios.

Mas a vida é assim – o tempo avança sem qualquer preocupação com nossos sentimentos,

e o passado se expande a cada momento que passa.

A maioria dos animais selvagens que existe atualmente provavelmente não deixará fósseis

para trás, e simplesmente desaparecerá para sempre.

Mas nós ainda podemos fazer alguma coisa – em vez de acelerar a extinção que estamos

acompanhando, poderíamos nos tornar os guardiões da vida onde ela existe.

Se possível na natureza, senão, em museus, filmes e nas nossas mentes.

Porque por mais incrível e fascinante que seja nossa imaginação sobre os animais que Because no matter how incredible and fascinating our imagination is about the animals that

fazem parte do totalmente desconhecido, é ainda melhor testemunhar os animais no

presente, na Terra que realmente habitamos, onde podemos viver a vida conforme ela acontece.

Se quiser continuar admirando e apreciando este mundo incrível em que vivemos, você

pode fazer isso com um dos nossos produtos com o tema Vida & Natureza e ser um apoiador

do Kurzgesagt.

Como o nosso mapa de evolução, pôsteres com paisagens ou que brilham no escuro!

Colocamos nos produtos o mesmo cuidado e amor que colocamos em nossos vídeos.

Desde os nossos cadernos até as pelúcias, bottons, moletons e camisetas.

Tudo isso para despertar sua curiosidade pelo espaço, pela natureza e pela vida.

Esta é também a melhor forma de apoiar o que fazemos neste canal.

Mas, por favor, não se sinta obrigado!

Assistir e compartilhar já nos ajuda muito, e somos muito gratos por vocês se importarem

com o que fazemos aqui.

Obrigada por assistir.