×

Мы используем cookie-файлы, чтобы сделать работу LingQ лучше. Находясь на нашем сайте, вы соглашаетесь на наши правила обработки файлов «cookie».


image

Mescla - Entrevistas, Pai e filha discutem a relação | Jogo da sinceridade (EP. 4)

Pai e filha discutem a relação | Jogo da sinceridade (EP. 4)

Queria que a minha filha falasse mais comigo...

É mentira... Pode por de verdade...

Meu nome é Julio, eu sou gerente de restaurante, e tenho 42 anos.

Meu nome é Pietra, tenho 14 anos e eu não tenho profissão.

Pelo que eu entendi vai ser uma dinâmica, né? É jogo da verdade ou alguma coisa assim, por exemplo...

Vai ser interessante, (Semelhante...) talvez a gente brigue depois de sair daqui? Talvez! Mas vai ser bem legal!

Mas a gente pode brigar durante, também... (É, não duvido nada...)

Meu pai poderia mudar algumas coisas nele mesmo...

Sem dúvida. Várias, aliás.

Todo mundo tem, todo mundo tem que... (Podia parar de fumar) Todo mundo tem que estar sempre numa constante (Evoluindo)...

Sim, ok... (Melhora) Você poderia, tipo, parar de fumar, você poderia reclamar menos, você poderia me levar mais no cinema...

E me deixar sair mais. (Ahã...)

Então, existe uma linha tênue aí que é um limite. As coisas têm que ter limite.

Mas o meu limite é muito curto.

É o limite satisfatório pra sua idade, tá ótimo. (Claro que não!)

Tem umas coisas que eu não entendo sobre você.

É um sono eterno, assim, é um sono eterno... (Olha quem fala...) Não, mas eu tenho 42 anos. (E eu tenho 14...) E eu trabalho, você não faz nada. Você estuda.

Não, mas assim, ela tem coisas que são relacionadas à mulher que, por mais que eu seja um pai que tenta ser moderno e desconstruído, e tentar...

criá-la ou direcioná-la, da mesma forma tem coisas que são muito mais relacionadas ao feminino, por exemplo, que... (A minha bipolaridade)

que é muito complicado eu lidar. Tem coisas que... minha irmã é uma pessoa que me ajuda muito, assim e tal. Mas

Mas nesse ponto eu acho que às vezes eu tenho uma deficiência de falar... putz, isso eu não entendo.

Eu prefiro a comida da minha mãe.

Cê prefere a comida da sua mãe? (Você não cozinha pra mim!)

Como no restaurante... (Não, mas e quando eu cozinho...) Minha mãe é confeiteira, que se acha? (Tá...)

Queria que minha filha falasse mais comigo...

É mentira... Pode por de verdade, que não é não. (Não!) Pode por, é mentira, é esse aqui. (Não, não!) Porque eu falo muito, tá, e ele reclama.

Ele fala: Uma hora cê não vai parar de falar, não? (Não, você fala com as suas amigas no celular.)

Quando eu sento na poltrona, que eu falo, pai vamo conversar? Ele olha pra mim... Você olha pra minha cara e fica, tipo... Sobre?

E eu não converso?

5 segundos, depois você enjoa e fica no celular. (Mas converso. Mas converso.)

Hum... tá bom.

Tem hábitos seus que me incomodam.

Totalmente. Tem vários. Posso listar, assim, uma lista enorme.

Nossa, cê faz um barulho que me irrita totalmente, às vezes eu tô falando com você tá no celular, aí você finge que não tá me ouvindo, depois você: quê?

Mas cê aprendeu isso com quem? (O quê?)

Cê faz igualzinho... (O quê?)

Isso que você acabou de falar. (Faço? Não, não faço!)

Igualzinho. (Não faço, não) Uhum... sei... (Ah, mas tem várias coisas, é que agora... Vai, sua vez...) Quer continuar? (Não, eu poderia continuar, mas pode ir...)

Eu finjo não ligar pros seus crushes ou namoro...

Uma vez eu tava conversando com a Sofia por ligação, aí você começou a falar... (Não!) ...quem que é esse aí, que isso? (Mas...) Fiquei, tipo...

Eu não ligo porque eu tô sabendo o que você tá fazendo. (Acredita no que eu falo, mas eu posso falar muito mais, mas eu não vou falar...) Tá se entregando?

Não! Para, pai! (Não, mas ué, você é um ser humano, você é um indivíduo, você tem direito a ter suas particularidades, isso é totalmente aceitável...

(É, mas...) Como eu também tenho...

Credo! Próxima pergunta! Próxima pergunta, credo.

Eu queria que você me deixasse fazer mais coisas.

Totalmente! Ontem, nossa, ontem a gente brigou. (Porque eu mandei você estudar...) É!!!

Nossa! Nossa! (Cês entenderam agora, né? Agora, é tipo, uma coisa revoltante, realmente.) Por mim, meia hora tava ótimo. (É um fardo! É um fardo!) Nossa!

Cê falou bem: por você.

Ele queria que eu tirasse o que? Nove, dez, oito... (Não, eu não quero isso...)

Eu cobro a questão do estudo não por uma questão do tipo, puta, cê tem que ser chato, cê tem que saber tudo. Não.

Mas o estudo vai possibilitar que quando ela chegar aos 17 anos, ela possa escolher.

Eu já deixei você se dar mal porque eu estava com raiva e queria te dar uma lição.

Mentira! Mentira! (Já!)

(Por quê) Já, lógico que já.

Pai, você é ridículo, não gostei... (Vai...)

Eu tenho mais bom gosto do que você em relação a maioria das coisas...

Óbvio que sim.

Óbvio que sim, eu tenho o gosto muito bom. (Não, já começa pelo funk. Cê quer que eu continue por onde, agora?)

Isso aí... isso aí é preconceito seu! (Você sabe que não é legal... Mas não é uma coisa forçada. Eu não fico: "cê tem que ouvir isso! Não pode ouvir aquilo!"

Senão é bem capaz de ela continuar só ouvindo aquilo, né?

Eu tenho muito medo de te decepcionar. (Nossa, eu quero saber o que que cê vai por.)

Ah, achei que cê ia por não.

Eu conheço um pouco você pelo menos, né?

Nas notas...

Porque ele vive reclamando disso...

E aí eu fico, tipo, sei lá, com medo de decepcionar ele com outras coisas também, tipo...

Com a minha mãe, porque eu brigo muito com a minha mãe, e ele sempre fala: não briga com a sua mãe.

Toda vez que eu vou pra casa dela, ele: não briga com ela! E toda vez eu brigo com ela... E acho que é só isso mesmo.

Ser seu pai me fez enxergar as mulheres de uma forma diferente.

Sim, porque você vê a minha bipolaridade e a minha TPM de perto...

Não! (Sim!) Não, não é isso... A gente vive numa sociedade que tem um patriarcado extremamente forte.

A família da minha mãe é formada basicamente por mulheres, e a gente vê o quanto a questão do machismo, ela é...

Fortíssima dentro da sociedade. Como eu, com o papel de estar criando ela sozinho, pô, eu me sinto muito no dever

de entender um pouco mais a relação desse patriarcado, dessa questão dessa sociedade machista, pra poder passar pra ela,

pra ela não ter que depender de ninguém, não depender de mim, não depender de um futuro marido...

Acho que esses valores são, no mínimo, o que me faz mudar, o que me fez mudar ou estar tentando melhorar em relação a essa questão do sexismo.

Eu tenho medo que você cresça e me esqueça.

Óbvio que sim! (Tenho não! Nem um pouquinho, na verdade.) Ai! Por que não?

Por quê? Você vai me esquecer?

Talvez, depois dessa...

Não sei, talvez...

Não, legal, meu! (A vontade de socar surgiu várias vezes porque ele me cortou uma vez, eu quis socar um pouquinho, mas tudo bem!)

Não, mas achei legal... É bem elucidador, né, vamos dizer assim, né? (Fala em uma palavra que as pessoas normais entendam...)

Todos eles estão entendendo o que eu tô falando. (Não é não! Não é não! Não é não!)

Cê entendeu? Ah...

Cê entendeu? Ah! Tá bom, mas eu não entendi!

Esclarecedor, vai...

Ah, mas eu não entendi! (Tá bom, esclarecedor, vamo lá...) Tá bom, agora as pessoas entenderam...

Não me olha assim...

Vai chorar?

Pára! Ridículo!

O pai te ama muito! Mais do que tudo! (Pára!)

Muuuuito! (Pára!)

Cê não me ama?

Ai, pai, que ódio!

Cê precisa chorar, mesmo... (Ah, você é ridículo!)

Não ri, eu tô chorando!


Pai e filha discutem a relação | Jogo da sinceridade (EP. 4)

Queria que a minha filha falasse mais comigo...

É mentira... Pode por de verdade... It's a lie... You can tell the truth...

Meu nome é Julio, eu sou gerente de restaurante, e tenho 42 anos. My name is Julio, I'm a restaurant manager, and I'm 42 years old.

Meu nome é Pietra, tenho 14 anos e eu não tenho profissão. My name is Pietra, I'm 14 years old and I don't have a profession.

Pelo que eu entendi vai ser uma dinâmica, né? É jogo da verdade ou alguma coisa assim, por exemplo... From what I understand it will be a dynamic, right? It's a game of truth or something, for example...

Vai ser interessante, (Semelhante...) talvez a gente brigue depois de sair daqui? Talvez! Mas vai ser bem legal! It will be interesting, (Similar...) maybe we'll fight after leaving here? Perhaps! But it will be really cool!

Mas a gente pode brigar durante, também... (É, não duvido nada...) But we can fight during, too... (Yeah, I don't doubt it...)

Meu pai poderia mudar algumas coisas nele mesmo... My father could change some things about himself...

Sem dúvida. Várias, aliás. Without a doubt. Several, in fact.

Todo mundo tem, todo mundo tem que... (Podia parar de fumar) Todo mundo tem que estar sempre numa constante (Evoluindo)... Everybody has it, everybody has to... (Could quit smoking) Everybody has to always be in a constant (Evolving)...

Sim, ok... (Melhora) Você poderia, tipo, parar de fumar, você poderia reclamar menos, você poderia me levar mais no cinema... Yeah, ok... (Improvement) You could, like, quit smoking, you could complain less, you could take me to the movies more...

E me deixar sair mais. (Ahã...) and let me go out more. (Uh-huh...)

Então, existe uma linha tênue aí que é um limite. As coisas têm que ter limite. So, there is a fine line there that is a limit. Things have to have limits.

Mas o meu limite é muito curto. But my limit is too short.

É o limite satisfatório pra sua idade, tá ótimo. (Claro que não!) It's the satisfactory limit for your age, that's great. (Of course not!)

Tem umas coisas que eu não entendo sobre você. There are some things I don't understand about you.

É um sono eterno, assim, é um sono eterno... (Olha quem fala...) Não, mas eu tenho 42 anos. (E eu tenho 14...) E eu trabalho, você não faz nada. Você estuda. It's an eternal sleep, well, it's an eternal sleep... (Look who's talking...) No, but I'm 42 years old. (And I'm 14...) And I work, you don't do anything. You study.

Não, mas assim, ela tem coisas que são relacionadas à mulher que, por mais que eu seja um pai que tenta ser moderno e desconstruído, e tentar... No, but like, she has things that are related to the woman that, as much as I am a father who tries to be modern and deconstructed, and try to...

criá-la ou direcioná-la, da mesma forma tem coisas que são muito mais relacionadas ao feminino, por exemplo, que... (A minha bipolaridade) raise or direct her, in the same way there are things that are very more related to the feminine, for example, that... (My bipolar)

que é muito complicado eu lidar. Tem coisas que... minha irmã é uma pessoa que me ajuda muito, assim e tal. Mas which is very complicated for me to deal with. There are things that... my sister is a person who helps me a lot, like that. But

Mas nesse ponto eu acho que às vezes eu tenho uma deficiência de falar... putz, isso eu não entendo. But at this point I think that sometimes I have a deficiency in admitting... hey, I don't understand that.

Eu prefiro a comida da minha mãe. I prefer my mother's cooking.

Cê prefere a comida da sua mãe? (Você não cozinha pra mim!) Do you prefer your mother's food? (You don't cook for me!)

Como no restaurante... (Não, mas e quando eu cozinho...) Minha mãe é confeiteira, que se acha? (Tá...) I eat at the restaurant... (No, but what about when I cook...) My mom is a baker, what do you think? (Okay...)

Queria que minha filha falasse mais comigo... I wish my daughter would talk to me more...

É mentira... Pode por de verdade, que não é não. (Não!) Pode por, é mentira, é esse aqui. (Não, não!) Porque eu falo muito, tá, e ele reclama. It's a lie... You can tell the truth, which it's not. (No!) You can, it's a lie, it's this one. (No, no!) Because I talk a lot, okay, and he complains.

Ele fala: Uma hora cê não vai parar de falar, não? (Não, você fala com as suas amigas no celular.) He says: Won't you stop talking anytime soon, will you? (No, you talk to your friends on your cell phone.)

Quando eu sento na poltrona, que eu falo, pai vamo conversar? Ele olha pra mim... Você olha pra minha cara e fica, tipo... Sobre? When I sit in the armchair, what do I say, Dad, let's talk? He looks at me... You look at my face and you're like... About?

E eu não converso? And I don't talk?

5 segundos, depois você enjoa e fica no celular. (Mas converso. Mas converso.) 5 seconds, then you get sick and stay on the phone. (But I talk. But I talk.)

Hum... tá bom. Hmm... okay.

Tem hábitos seus que me incomodam. There are habits of yours that bother me.

Totalmente. Tem vários. Posso listar, assim, uma lista enorme. Totally. There are several. I can list, well, a huge list.

Nossa, cê faz um barulho que me irrita totalmente, às vezes eu tô falando com você tá no celular, aí você finge que não tá me ouvindo, depois você: quê? Wow, you make a noise that totally irritates me, sometimes I'm talking to you and you're on the cell phone, then you pretend you're not listening to me, then you: what?

Mas cê aprendeu isso com quem? (O quê?) But who did you learn it from? (What?)

Cê faz igualzinho... (O quê?) You do the same... (What?)

Isso que você acabou de falar. (Faço? Não, não faço!) What you just said. (Do I? No, I don't!)

Igualzinho. (Não faço, não) Uhum... sei... (Ah, mas tem várias coisas, é que agora... Vai, sua vez...) Quer continuar? (Não, eu poderia continuar, mas pode ir...) Just like that. (I don't, no) Uhm... I know... (Ah, but there are several things, it's just that now... Go, your turn...) Do you want to continue? (No, I could go on, but go on...)

Eu finjo não ligar pros seus crushes ou namoro... I pretend not to care about your crushes or dating...

Uma vez eu tava conversando com a Sofia por ligação, aí você começou a falar... (Não!) ...quem que é esse aí, que isso? (Mas...) Fiquei, tipo... Once I was talking to Sofia on the phone, then you started talking... (No!) . ..who is this, what is this? (But...) I was like...

Eu não ligo porque eu tô sabendo o que você tá fazendo. (Acredita no que eu falo, mas eu posso falar muito mais, mas eu não vou falar...) Tá se entregando? I don't care because I know what you're doing. (Believe what I say, but I can say much more, but I won't...) Are you giving in?

Não! Para, pai! (Não, mas ué, você é um ser humano, você é um indivíduo, você tem direito a ter suas particularidades, isso é totalmente aceitável... No! Stop, dad! (No, but hey, you're a human being, you're an individual, you're entitled to your particularities, that's totally acceptable...)

(É, mas...) Como eu também tenho... (Yeah, but...) As am I

Credo! Próxima pergunta! Próxima pergunta, credo. Yikes... next question! Next question, god

Eu queria que você me deixasse fazer mais coisas. I wish you'd let me do more things.

Totalmente! Ontem, nossa, ontem a gente brigou. (Porque eu mandei você estudar...) É!!! Totally! Yesterday, wow, yesterday we had a fight. (Because I told you to study...) Yeah!!!

Nossa! Nossa! (Cês entenderam agora, né? Agora, é tipo, uma coisa revoltante, realmente.) Por mim, meia hora tava ótimo. (É um fardo! É um fardo!) Nossa! Wow! Wow! (You understand now (It's a burden! It's a burden!) Wow!

Cê falou bem: por você. You said it well: for you.

Ele queria que eu tirasse o que? Nove, dez, oito... (Não, eu não quero isso...) He wanted my grades to be like A, B... (No, I don't want that...)

Eu cobro a questão do estudo não por uma questão do tipo, puta, cê tem que ser chato, cê tem que saber tudo. Não. I demand you to study not for because I'm annoying and want you to know everything. No!

Mas o estudo vai possibilitar que quando ela chegar aos 17 anos, ela possa escolher. But studying will make it possible for her to choose what she wants to do when she turns 17.

Eu já deixei você se dar mal porque eu estava com raiva e queria te dar uma lição. I've already let you get hurt because I was angry and wanted to teach you a lesson.

Mentira! Mentira! (Já!) Lie! Lie! (Already!)

(Por quê) Já, lógico que já. (Why) Yes, of course

Pai, você é ridículo, não gostei... (Vai...) Dad, you're ridiculous, I didn't like it... (C'mon...)

Eu tenho mais bom gosto do que você em relação a maioria das coisas... I have better taste than you in most things...

Óbvio que sim. Of course I do.

Óbvio que sim, eu tenho o gosto muito bom. (Não, já começa pelo funk. Cê quer que eu continue por onde, agora?) Of course I do, I have very good taste. (No, it starts with funk. Where do you want me to go, now?)

Isso aí... isso aí é preconceito seu! (Você sabe que não é legal... Mas não é uma coisa forçada. Eu não fico: "cê tem que ouvir isso! Não pode ouvir aquilo!" That's it... that's your prejudice! (You know it's not cool... But it's not a forced thing. I 'm not like: "You have to listen to this! You can't listen to that!"

Senão é bem capaz de ela continuar só ouvindo aquilo, né? Otherwise she will just listen to that, isn't it?

Eu tenho muito medo de te decepcionar. (Nossa, eu quero saber o que que cê vai por.) I'm really afraid to let you down (Wow, I want to know what you're going for.)

Ah, achei que cê ia por não. Oh, I thought you were going for no.

Eu conheço um pouco você pelo menos, né? I know you a little, at least, right?

Nas notas... In the grades...

Porque ele vive reclamando disso... Because he keeps complaining about it.

E aí eu fico, tipo, sei lá, com medo de decepcionar ele com outras coisas também, tipo... And then I'm like, I don't know, afraid of disappointing him with other things too, like...

Com a minha mãe, porque eu brigo muito com a minha mãe, e ele sempre fala: não briga com a sua mãe. With my mother, because I fight a lot with my mother, and he always says: don't fight with your mother .

Toda vez que eu vou pra casa dela, ele: não briga com ela! E toda vez eu brigo com ela... E acho que é só isso mesmo. Every time I go to her house, he: don't fight with her! And every time I fight with her... And I think that's all.

Ser seu pai me fez enxergar as mulheres de uma forma diferente. Being her father made me see women in a different way.

Sim, porque você vê a minha bipolaridade e a minha TPM de perto... Yes, because you see my bipolar and my PMS up close...

Não! (Sim!) Não, não é isso... A gente vive numa sociedade que tem um patriarcado extremamente forte. No! (Yes!) No, that's not it... We live in a society that has an extremely strong patriarchy.

A família da minha mãe é formada basicamente por mulheres, e a gente vê o quanto a questão do machismo, ela é... My mother's family is basically formed by women, and we see what On the issue of machismo, it is...

Fortíssima dentro da sociedade. Como eu, com o papel de estar criando ela sozinho, pô, eu me sinto muito no dever Very strong within society. Like me, with the role of raising her alone, I feel really obliged

de entender um pouco mais a relação desse patriarcado, dessa questão dessa sociedade machista, pra poder passar pra ela, to understand a little more about the relationship of this patriarchy, this issue of this sexist society, to be able to pass it on to her,

pra ela não ter que depender de ninguém, não depender de mim, não depender de um futuro marido... so she doesn't have to depend on anyone, not depending on me, not depending on a future husband...

Acho que esses valores são, no mínimo, o que me faz mudar, o que me fez mudar ou estar tentando melhorar em relação a essa questão do sexismo. I think these values ​​are, at the very least, what makes me change, what made me change or be trying to improve in relation to this issue of sexism.

Eu tenho medo que você cresça e me esqueça. I'm afraid you'll grow up and forget me.

Óbvio que sim! (Tenho não! Nem um pouquinho, na verdade.) Ai! Por que não? Obviously yes! (I don't! Not even a little bit, actually.) Ouch! Why not?

Por quê? Você vai me esquecer? why? Will you forget me?

Talvez, depois dessa... Maybe after this one...

Não sei, talvez... I don't know, maybe...

Não, legal, meu! (A vontade de socar surgiu várias vezes porque ele me cortou uma vez, eu quis socar um pouquinho, mas tudo bem!) No, cool, man! (The urge to punch came up several times because he cut me once, I wanted to punch a little bit, but that's ok!)

Não, mas achei legal... É bem elucidador, né, vamos dizer assim, né? (Fala em uma palavra que as pessoas normais entendam...) No, but I thought it was cool... It's very enlightening, right, let's put it this way, right? (Speaks in a word that normal people understand...)

Todos eles estão entendendo o que eu tô falando. (Não é não! Não é não! Não é não!) They all understand what I'm saying. (No it's no! It's no no! It's no!)

Cê entendeu? Ah... Do you understand? Ah...

Cê entendeu? Ah! Tá bom, mas eu não entendi! Do you understand? Oh! Okay, but I don't understand!

Esclarecedor, vai... Enlightening, go...

Ah, mas eu não entendi! (Tá bom, esclarecedor, vamo lá...) Tá bom, agora as pessoas entenderam... Ah, but I don't understand! (Okay, enlightening, let's go...) Okay, now people understand...

Não me olha assim... Don't look at me like that...

Vai chorar? Are you going to cry?

Pára! Ridículo! Stop! Ridiculous!

O pai te ama muito! Mais do que tudo! (Pára!) Dad loves you very much! More than anything! (Stops!)

Muuuuito! (Pára!) Soooo! (Stop!)

Cê não me ama? Don't you love me?

Ai, pai, que ódio! Oh, dad, I hate you!

Cê precisa chorar, mesmo... (Ah, você é ridículo!) You really need to cry... (Oh, you're ridiculous!)

Não ri, eu tô chorando! Don't laugh, I'm crying!