×

Мы используем cookie-файлы, чтобы сделать работу LingQ лучше. Находясь на нашем сайте, вы соглашаетесь на наши правила обработки файлов «cookie».


image

Mescla - Entrevistas, Biscoito ou bolacha? Égua ou mano? As diferenças linguísticas das regiões do Brasil

Biscoito ou bolacha? Égua ou mano? As diferenças linguísticas das regiões do Brasil

É biscoito, não bolacha. Oh...

Biscoito... e vamos às diferenças...

Mas de maneira nenhuma, ó, muito aqui, é bolacha.

Eu sempre tenho que explicar o significado do que falo para as pessoas de outros estados.

Tenho. Sempre tenho que explicar o significado, porque, assim, tem muita gíria que é muita coisa diferente.

Acho que mais ou menos... concordo, sim. Porque tem gíria que tem gente que não pega mesmo, não.

É pá, assim, tipo, que a gente fala: ah, não sei o que lá e pá. Eu já vi gente falando: pá? Que porra é pá?

E eu: e pá, afins, continua aí o assunto, o que você quiser pensar e pá...

Ah, isso aí com toda certeza, né? O égua, acho que o égua é o primeiro, égua, o pai d'égua, né? Ele muda de acordo com a tonalidade.

Acho que ele seria muito parecido com falar o tipo "mano", mais ou menos também dando tonalidade, então pode significar raiva, tristeza, susto, alegria...

As gírias, a gente não tem tantas gírias, mas a gente tem muito... encurtar as palavras. A gente encurta muito.

Então, assim, não é "qual foi, velho", é "qual foi vei".

Acho que não... Acho que as novelas, as gírias cariocas as pessoas sabem o que significam... boate, quando eu falo boate, bro, que é anos 90, bro, brother...

Essas coisas eu acho que as pessoas sabem o que significam por causa das novelas e das séries, então eu acho que não preciso explicar.

Sempre, não, mas algumas vezes, sim. Tem algumas coisas, algumas expressões que a gente usa de lá que algumas pessoas não conhecem aqui.

Então, por exemplo, "arrudeia". Arrudeia é dar a volta, né, então por exemplo, às vezes eu tô falando assim: nossa, vei, fulano tá falando, falando, falando, é um

arrudeio do caramba, não chega aonde quer chegar. Quer dizer que a pessoa fica enrolando e não chega aonde quer chegar. Então, às vezes, a pessoa não entende.

Agora que eu já estou há dois anos e meio aqui, eu já meio que acostumei a me adaptar com algumas falas.

Mas sempre, sempre. A vina é um exemplo muito claro, todo mundo fala, quem é de Curitiba. Vina é salsicha do cachorro-quente. É vina, lá.

Salsicha, lá, é um negócio desse tamanho, que enrola, assim, tipo um U, que fica pendurando nos açougues. Isso é salsicha. Lá, vina é do cachorro-quente.

Por exemplo, piá. A gente chama lá, entre os amigos, a gente chama de piá. E aí, piá, beleza, como é que tá? E aqui eu parecia um dinossauro falando piá

quando eu cheguei, eu não sabia o que falar. Hoje eu já sei que é o mano, inclusive sem querer eu já falo mano e tudo mais.

Caô existe, caô tá ali... não é geração Z, né, é millenium...

Ou essa coisa de ir no mercado, né? Eu tenho que ir na padaria, eu vou na padaria o caminho inteiro assim: não posso pedir cacetinho, não posso pedir cacetinho...

Aí eu chego lá e peço cacetinho... Aí eu não consigo, eu tenho que traduzir... aí eu digo: eu quero dois pães franceses.

Eu digo: gente, que coisa ridícula falar "pães franceses", mas é que eu não consigo de outra forma, né, eu tô traduzindo o negócio.

Mais ou menos... Eu tenho que explicar, sim, algumas coisas. Por exemplo, a gente corta muito as palavras, a gente fala rápido, às vezes,

e come algumas letras das palavras, aí eu tava no meu trabalho esses dias, e eu disse para a minha colega assim: ah, vou ali procurá um trem pra cumê.

E aí ela ficou assim... acho que na cabeça dela ela fez aquele meme da Nazaré, sabe? Tipo assim... trem pá cumê... ela deve ter pensado na CPTM,

do trem, alguma coisa assim... Então, assim, a gente tem algumas palavras que não usam aqui... Por exemplo, tava caminhando também esses dias com uns amigos

e aí eu falei para eles assim: a gente não pode ataiá por aqui, não? Aí ele falou: olha, aqui em São Paulo a gente não fala ataía, não, a gente fala uma outra coisa,

que eu nem me lembro o que ele falou lá, mas ataiá por aqui é diminuir o caminho, encurtar o caminho por aqui.

Meu namorado é daqui, de São Paulo, então quando a gente tá conversando, por exemplo, eu e a minha mãe, eu e alguém de Recife,

muitas vezes ele não entende, porque a gente fala muito rápido, e a gente vai comendo sílaba. E aí quando você vai ver, às vezes uma frase que deveria

durar um minuto, dura, sei lá, 15 segundos. E ainda agora, né, que dá pra acelerar áudio, então, nossa, quando eu pego áudio de alguém de Recife que eu acelero...

Sem chance, ninguém consegue entender.

Eu tenho uma amiga, que hoje em dia mora no Canadá, e ela foi comigo pra Três Pontas, que eu fui levar na cachoeira, e a gente entrou na cachoeira,

tava muito gelado, quando eu vi, eu falei que eu tava encarangando. Ela ficou olhando na minha cara pensando: como assim, tá encarangando?

Porque eu tava morrendo de frio, porque a cachoeira tava gelada, e ela não entendeu porcaria nenhuma... E, assim, os meus amigos aqui, no trabalho,

então sempre o jeito, a maneira como eu falo, às vezes eu solto uma palavra que ninguém entende e eu tenho que explicar o por que, o que significa aquela palavra,

igual se eu estivesse falando uma palavra estrangeira. Mas é legal, também, porque aí eles também aprendem o sotaque, porque da mesma maneira eu também não

entendo certas coisas que o pessoal fala aqui... Igual, uma vez em São Paulo, que o pessoal tava falando que a pessoa tava cometendo alguma gafe.

Aí... "mó guela", entendeu? Então, assim, eu também não entendo. Então cada estado tem as suas gírias, então às vezes a gente realmente não entende

e você tem mesmo que explicar para a outra pessoa.

Consigo reconhecer alguém do meu estado apenas pelo sotaque.

Nossa... 100%.

Com certeza!

Sim, consigo!

Ah, isso é a coisa mais fácil. A pessoa abriu a boca, já consegue saber quem que é.

Acho que qualquer pessoa do seu estado, eu acho que vai conseguir reconhecer. Tipo, o paraense eu consigo, super.

É muito fácil de você entender quando a pessoa é de Recife.

Mais ou menos. Claro que o goiano tem outras características além do sotaque, mas o sotaque do goiano é muito forte.

Inclusive o meu forte aqui, o r é bem puxado, né?

Agora mesmo, no trabalho, né, às vezes eu aplico provas para outras turmas e aí dá pra sentir o sotaque. Até o sotaque de Porto Alegre,

que eu não sou muito familiarizada, a gente consegue sentir, assim, né?

Vai chiar, e vai falar um égua, vai falar uma gíria específica que não tem como abrir mão. Já aconteceu, acho que aqui em São Paulo, na Paulista,

a pessoa passar conversando e eu paro assim: é do Pará? É de Belém? Ah, nossa, que legal, tá aqui em São Paulo, né? Visitando?

Ou quando passa com alguma camisa do Remo ou do Paysandu. E aí, pra gente tirar graça, né, eu grito o time oposto. E aí a pessoa toma até um susto, né?

Não vou saber, sei lá, se você me pergunta: mas como é o sotaque do pessoal da Paraíba, ou baiano, ou... eu não vou saber te dizer,

mas eu vou conseguir reconhecer quem é do meu estado falando.

É o olhar, a gente se sente. Isso é incrível. A gente sabe até, se duvidar, a gente acerta até o lugar de onde a pessoa é.

Não só de Pernambuco, mas eu reconheço facilmente, facilmente, um baiano, um paraibano e cearense, e o alagoano, até mais ou menos assim...

Mas nossa, o baiano é tiro e queda, você sabe. Ele falou, de longe eu já sei, esse cara é baiano. Recifense, total,

e ainda mais se a pessoa usar alguma expressão que é muito nossa.

Quando eu escuto um sotaque carioca, eu consigo identificar muito facilmente. O de São Paulo, eu confundo um pouco mais, porque tem o paulistano e o paulista,

então eu fico um pouco mais confuso.

Eu acho que consigo perceber mais pelas gírias, inclusive. Tipo, gíria de São Paulo, pode pá... Não tem, acho, outro estado que fala pode pá.

Acho, até, que é como reconheço outras pessoas, né, pelo sotaque também.

O sotaque de Volta Redonda eu não consigo identificar de jeito nenhum, porque as famílias são muito mistas. Então, em Volta Redonda varia muito por família.

Se você veio de uma família mineira, você vai falar muito igual mineiro, se você veio de uma família do Rio, você vai falar muito igual do Rio,

mas a grande diferença do sotaque de Volta Redonda são as pessoas que falam igual mineiro. Tem muita gente que fala muito mais mineirês do que eu tô falando agora.

Eu até vou contar um caso curioso que aconteceu comigo esse fim de semana. Eu tenho uns amigos que a gente tem uma banda, eu toco bateria,

e a gente foi tocar no quintal da casa dele, e tamo lá tocando, e conversa vai, conversa vem, quando eu vejo o vizinho dele - que eu, jamais, em uma

cidade com 12 milhões de habitantes, chegou na janela e falou: uai, mas parece que eu tô conhecendo essa pessoa, com um sotaque de Três Pontas...

Então, assim, foi muita coincidência, que era um amigo que fazia muitos anos que eu não via, e ele conheceu pela voz. E aí ele perguntou pra esposa dele e mostrou uma

foto minha e falou assim: essa aqui é a Naila que tá ali tocando? E ela falou: é ela mesmo. Ele falou: tá vendo, eu reconheci pela voz.

Então, assim, o mineiro tem um sotaque muito característico. Então se a pessoa abrir a boca, você já sabe que é mineiro.

Com certeza. Isso é fato. Você conversa dois minutos com a pessoa, e você viu que você conversou sozinho, você vê que é de Curitiba.

Não, mas o sotaque é muito forte, ele é muito forte. Você consegue definir... eu citei aqui o sotaque só no E, né? As pessoas exaltam o E, mas não é só isso.

A gente fala as coisas muito certas, lá. A gente define muito bem as palavras pra falar. Um exemplo muito claro é a blusa, por exemplo.

A minha mulher é daqui de São Paulo e esses dias ela pegou e falou assim: tá frio, você pode pegar uma blusa pra mim?

Falei: posso. Aí eu subi, e peguei uma blusa pra ela, uma blusa pra mim é uma blusa, um moletom, lã... Aí eu desci, tava numa sacola, e a gente foi embora.

Aí quando ela foi por a blusa, ela falou: não, mas não era essa blusa, era blusa de manga curta. Eu falei: então não é blusa, minha filha, é camiseta...

Então a gente tem muita divergência em relação a algumas coisas daqui, e quando a gente se encontra, a gente se une, a gente fala, realmente isso é muito errado.

Blusa é blusa e camiseta é camiseta.

É biscoito, não bolacha.

Oh... Hum...

Bem, eu fui ensinado a ter certas diferenças em relação a isso.

É biscoito!

Isso eu tenho que concordar, é biscoito.

Biscoito. E vamos às diferenças.

Mas de maneira nenhuma, muito aqui, ó, é bolacha, mano, biscoito é o bagulho de polvilho. Você come de polvilho, aí suja aqui o colo, isso aí é biscoito.

Agora, bolacha é bolacha recheada, bolacha de leite, bolacha de maisena, é bolacha, Nunca vi biscoito, não é possível, não existe.

Isso é briga. Mas é biscoito.

Bolacha é um tapa na cara, né? Bolacha é aquela gíria antiga que os nossos avós usavam lá pra falar bolacha, fulano deu uma bolacha na cara do outro.

Porque biscoito é tudo, gente, é wafer, água e sal, polvilho, recheado, enfim, do jeito que você quiser é biscoito.

Biscoito de queijo. Bolacha é aquela bolacha lá que a gente come, bolacha recheada, que vem no pacote, tá?

Mas tem escrito biscoito, não tem escrito biscoito na caixinha? É biscoito.

Na verdade, esse tipo de coisa... porque, assim, pra mim, biscoito, é o que é de polvilho. O que não é biscoito de polvilho ou pão de queijo, que tem até que

quando é maior o povo fala que é biscoitão, pra mim o resto é tudo bolacha.

Não, nesse caso eu vou dizer que não é biscoito, é bolacha. Lá a gente consome muita bolacha salgada, a cream cracker, ou a bolacha doce,

que geralmente o pessoal conhece como bolacha Maria, lá, e é muito consumido no café da manhã. Acho que as famílias de baixa renda consomem mais,

porque é mais acessível, né, e vem na cesta básica, e consome com café preto, café com leite... Então lá, se você falar de biscoito, é o biscoito recheado, né?

É que a gente costuma usar bolacha, né? Bolacha recheada. Biscoito seria talvez salgado? Eu não sei. Não sei.

Toda vez que eu vejo essa pergunta na internet, essa questão, eu fico pensando como a gente diz, e eu não consegui identificar.

Cara, sinceramente, eu discordo, só pelo simples fato de que eu não me importo com essa discussão. É muito raso.

Mas eu admito que eu mudei essa percepção um tempo atrás, porque há um tempo atrás eu queria até tatuar, assim, tipo que biscoito é sem recheio,

e aí eu ia tatuar um diagrama, assim, tipo, biscoito, recheio, biscoito, biscoito, bolacha. Tipo, tudo junto seria bolacha.

Mas hoje em dia eu não ligo, sinceramente, eu acho que comecei a me preocupar com coisas maiores.

Fim. Não tenho mais nada pra falar sobre isso.


Biscoito ou bolacha? Égua ou mano? As diferenças linguísticas das regiões do Brasil

É biscoito, não bolacha. Oh...

Biscoito... e vamos às diferenças... Biscoito... and let's get to the differences...

Mas de maneira nenhuma, ó, muito aqui, é bolacha. But by no means, look, a lot here, it's bolacha.

Eu sempre tenho que explicar o significado do que falo para as pessoas de outros estados. I always have to explain the meaning of what I say to people in other states.

Tenho. Sempre tenho que explicar o significado, porque, assim, tem muita gíria que é muita coisa diferente. I do. I always have to explain the meaning, because, like, there's a lot of slang that's a lot different.

Acho que mais ou menos... concordo, sim. Porque tem gíria que tem gente que não pega mesmo, não. I think more or less... I agree, yes. Because there is slang that some people don't really catch, no.

É pá, assim, tipo, que a gente fala: ah, não sei o que lá e pá. Eu já vi gente falando: pá? Que porra é pá? It's pá, like we say: oh, I don't know what and pá. I've seen people saying: pá? What the fuck is pá?

E eu: e pá, afins, continua aí o assunto, o que você quiser pensar e pá... And me: and pá, that's it, keep it up, whatever you want to think about , and pá...

Ah, isso aí com toda certeza, né? O égua, acho que o égua é o primeiro, égua, o pai d'égua, né? Ele muda de acordo com a tonalidade. Oh, that's for sure, right? The égua, I think the égua is the first, égua, the pai d'égua, right? It changes according to the hue.

Acho que ele seria muito parecido com falar o tipo "mano", mais ou menos também dando tonalidade, então pode significar raiva, tristeza, susto, alegria... I think it would be a lot like saying "mano", more or less also giving tone, so it can mean anger, sadness, fright, joy...

As gírias, a gente não tem tantas gírias, mas a gente tem muito... encurtar as palavras. A gente encurta muito. The slang, we don't have so many slangs, but we do shorten the words. We shorten it a lot.

Então, assim, não é "qual foi, velho", é "qual foi vei". So, like, it's not "qual foi, velho", é "qual foi vei".

Acho que não... Acho que as novelas, as gírias cariocas as pessoas sabem o que significam... boate, quando eu falo boate, bro, que é anos 90, bro, brother... I don't think so... I think because of soap operas, people know what carioca slangs mean... boate, when I say boate, bro, it's from the 90s, bro, brother...

Essas coisas eu acho que as pessoas sabem o que significam por causa das novelas e das séries, então eu acho que não preciso explicar. These things I think people know what they mean because of the soap operas and the series, so I don't think I need to explain.

Sempre, não, mas algumas vezes, sim. Tem algumas coisas, algumas expressões que a gente usa de lá que algumas pessoas não conhecem aqui. Not always, but sometimes, yes. There are some things, some expressions that we use from there that some people don't know here.

Então, por exemplo, "arrudeia". Arrudeia é dar a volta, né, então por exemplo, às vezes eu tô falando assim: nossa, vei, fulano tá falando, falando, falando, é um So, for example, "arrudeia". Arrudeia is turning around, right, so for example, sometimes I'm saying: wow, man, so-and-so is talking, talking, talking, it's a hell of a

arrudeio do caramba, não chega aonde quer chegar. Quer dizer que a pessoa fica enrolando e não chega aonde quer chegar. Então, às vezes, a pessoa não entende. arrudeio, it doesn't get to where they want to go. It means that the person is stalling and doesn't get where they want to get. So sometimes the person doesn't understand.

Agora que eu já estou há dois anos e meio aqui, eu já meio que acostumei a me adaptar com algumas falas. Now that I've been here for two and a half years, I've kind of gotten used to adapting with some lines.

Mas sempre, sempre. A vina é um exemplo muito claro, todo mundo fala, quem é de Curitiba. Vina é salsicha do cachorro-quente. É vina, lá. But always, always. The vina is a very clear example, everyone speaks, who is from Curitiba. Vina is hot dog sausage. It's vina, there.

Salsicha, lá, é um negócio desse tamanho, que enrola, assim, tipo um U, que fica pendurando nos açougues. Isso é salsicha. Lá, vina é do cachorro-quente. Sausage, there, is a thing of this size, that rolls, like the letter U, that hangs in the butchers. That's sausage. There, vina is from the hot dog.

Por exemplo, piá. A gente chama lá, entre os amigos, a gente chama de piá. E aí, piá, beleza, como é que tá? E aqui eu parecia um dinossauro falando piá For example, piá. We call it there, among friends, we call it piá. Hey, piá, how's it going? And here I looked like a dinosaur saying piá

quando eu cheguei, eu não sabia o que falar. Hoje eu já sei que é o mano, inclusive sem querer eu já falo mano e tudo mais. when I arrived, I didn't know what to say. Today I already know it's mano, even without meaning to, I say mano and everything else.

Caô existe, caô tá ali... não é geração Z, né, é millenium... Caô exists, caô it's there... it's not Generation Z, right, it's millenium...

Ou essa coisa de ir no mercado, né? Eu tenho que ir na padaria, eu vou na padaria o caminho inteiro assim: não posso pedir cacetinho, não posso pedir cacetinho... Or this thing of going to the market, right? I have to go to the bakery, I go to the bakery all the way like this: I can't ask for a cacetinho, I can't ask for a cacetinho...

Aí eu chego lá e peço cacetinho... Aí eu não consigo, eu tenho que traduzir... aí eu digo: eu quero dois pães franceses. Then I get there and ask for a cacetinho... Then I can't, I have to translate... then I say: I want two French loaves.

Eu digo: gente, que coisa ridícula falar "pães franceses", mas é que eu não consigo de outra forma, né, eu tô traduzindo o negócio. I say: guys, what a ridiculous thing to say "French loaves", but I can't do it any other way, right, I'm translating the thing.

Mais ou menos... Eu tenho que explicar, sim, algumas coisas. Por exemplo, a gente corta muito as palavras, a gente fala rápido, às vezes, More or less... I have to explain, yes, some things. For example, we cut out the words a lot, we speak quickly, sometimes,

e come algumas letras das palavras, aí eu tava no meu trabalho esses dias, e eu disse para a minha colega assim: ah, vou ali procurá um trem pra cumê. and eat a few letters of the words, then I was at work these days, and I said to my colleague like this: ah, vou ali procurá um trem pra cumê.

E aí ela ficou assim... acho que na cabeça dela ela fez aquele meme da Nazaré, sabe? Tipo assim... trem pá cumê... ela deve ter pensado na CPTM, And then she was like this... I think that in her head she made that meme of Nazaré, you know? Like... trem pra cumê... she must have thought about the trains,

do trem, alguma coisa assim... Então, assim, a gente tem algumas palavras que não usam aqui... Por exemplo, tava caminhando também esses dias com uns amigos something like that... So, like, we have some words that we don't use here... For example, I was walking these too days with some friends

e aí eu falei para eles assim: a gente não pode ataiá por aqui, não? Aí ele falou: olha, aqui em São Paulo a gente não fala ataía, não, a gente fala uma outra coisa, and then I told them: can't we ataiá this way? Then they said: look, here in São Paulo we don't say ataiá, no, we say something else,

que eu nem me lembro o que ele falou lá, mas ataiá por aqui é diminuir o caminho, encurtar o caminho por aqui. I don't even remember what he said there, but ataiá this way is shortening the path, shortening the path this way.

Meu namorado é daqui, de São Paulo, então quando a gente tá conversando, por exemplo, eu e a minha mãe, eu e alguém de Recife, My boyfriend is from here, from São Paulo, so when we're talking, for example, me and my mother, me and someone from Recife,

muitas vezes ele não entende, porque a gente fala muito rápido, e a gente vai comendo sílaba. E aí quando você vai ver, às vezes uma frase que deveria he often doesn't understand, because we talk too fast, and we start eating syllables . And then when you see, sometimes a sentence that should

durar um minuto, dura, sei lá, 15 segundos. E ainda agora, né, que dá pra acelerar áudio, então, nossa, quando eu pego áudio de alguém de Recife que eu acelero... last a minute, lasts, I don't know, 15 seconds. And even now, you know, you can speed up audio, so, wow, when I get audio from someone in Recife, I speed it up...

Sem chance, ninguém consegue entender. No way, no one can understand.

Eu tenho uma amiga, que hoje em dia mora no Canadá, e ela foi comigo pra Três Pontas, que eu fui levar na cachoeira, e a gente entrou na cachoeira, I have a friend, who now lives in Canada, and she went with me to Três Pontas, and we went to swim in a waterfall,

tava muito gelado, quando eu vi, eu falei que eu tava encarangando. Ela ficou olhando na minha cara pensando: como assim, tá encarangando? it was very cold, so I said I was encarangando. She kept looking at my face thinking: what do you mean, you are encarangando?

Porque eu tava morrendo de frio, porque a cachoeira tava gelada, e ela não entendeu porcaria nenhuma... E, assim, os meus amigos aqui, no trabalho, I was freezing cold, because the waterfall was freezing, and she didn't understand a damn thing... The same with my friends here, at work,

então sempre o jeito, a maneira como eu falo, às vezes eu solto uma palavra que ninguém entende e eu tenho que explicar o por que, o que significa aquela palavra, so the way I talk, sometimes I drop a word that no one understands and I have to explain why, what that word means,

igual se eu estivesse falando uma palavra estrangeira. Mas é legal, também, porque aí eles também aprendem o sotaque, porque da mesma maneira eu também não just like if I were speaking a foreign word. But it's also cool, because then they also learn the accent, because in the same way I also

entendo certas coisas que o pessoal fala aqui... Igual, uma vez em São Paulo, que o pessoal tava falando que a pessoa tava cometendo alguma gafe. don't understand certain things that people say here... Like, once in São Paulo, people were saying that the person was committing some faux pas.

Aí... "mó guela", entendeu? Então, assim, eu também não entendo. Então cada estado tem as suas gírias, então às vezes a gente realmente não entende Then... "mó guela", got it? So, like that, I don't understand either. So each state has its slang, so sometimes we don't really understand

e você tem mesmo que explicar para a outra pessoa. and you really have to explain it to the other person.

Consigo reconhecer alguém do meu estado apenas pelo sotaque. I can recognize someone from my state just by their accent.

Nossa... 100%. Wow... 100%.

Com certeza! Absolutely!

Sim, consigo!

Ah, isso é a coisa mais fácil. A pessoa abriu a boca, já consegue saber quem que é. Ah, this is the easiest thing. The person opened his mouth, I can already know where they are from.

Acho que qualquer pessoa do seu estado, eu acho que vai conseguir reconhecer. Tipo, o paraense eu consigo, super. I think anyone in your state, I think, will be able to recognize it. Like, the paraense I can, super.

É muito fácil de você entender quando a pessoa é de Recife. It's very easy for you to understand when the person is from Recife.

Mais ou menos. Claro que o goiano tem outras características além do sotaque, mas o sotaque do goiano é muito forte. More or less. Of course, Goiás has other characteristics besides the accent, but the accent of Goiás is very strong.

Inclusive o meu forte aqui, o r é bem puxado, né? Including mine, or it's very strong, right?

Agora mesmo, no trabalho, né, às vezes eu aplico provas para outras turmas e aí dá pra sentir o sotaque. Até o sotaque de Porto Alegre, Right now, at work, right, sometimes I apply tests to other groups and then you can feel the accent. Even the Porto Alegre accent,

que eu não sou muito familiarizada, a gente consegue sentir, assim, né? which I'm not very familiar with, we can feel it, right?

Vai chiar, e vai falar um égua, vai falar uma gíria específica que não tem como abrir mão. Já aconteceu, acho que aqui em São Paulo, na Paulista, It will squeak, and say égua, then use another specific slang that cannot be mistaken. It has already happened, I think that here in São Paulo, in Paulista Avenue,

a pessoa passar conversando e eu paro assim: é do Pará? É de Belém? Ah, nossa, que legal, tá aqui em São Paulo, né? Visitando? the person passes by talking and I stop like this: are you from Pará? From Belém? Oh, that's cool, you're here in São Paulo, right? Visiting?

Ou quando passa com alguma camisa do Remo ou do Paysandu. E aí, pra gente tirar graça, né, eu grito o time oposto. E aí a pessoa toma até um susto, né? Or when you pass by wearing a Remo or Paysandu shirt. And then, for us to make fun of it, right, I scream the opposite team. And then the person is like... wow?

Não vou saber, sei lá, se você me pergunta: mas como é o sotaque do pessoal da Paraíba, ou baiano, ou... eu não vou saber te dizer, I won't know, I don't know, if you ask me: but how is the accent of people from Paraíba, or Bahia, or... I won't be able to tell you,

mas eu vou conseguir reconhecer quem é do meu estado falando. but I'll be able to recognize who is from my state speaking.

É o olhar, a gente se sente. Isso é incrível. A gente sabe até, se duvidar, a gente acerta até o lugar de onde a pessoa é. It's the look, we feel. This is amazing. We can even get where the person is from.

Não só de Pernambuco, mas eu reconheço facilmente, facilmente, um baiano, um paraibano e cearense, e o alagoano, até mais ou menos assim... Not only from Pernambuco, but I easily and easily recognize if the are from Bahia, Paraiba, Ceará and Alagoas, even more or less like this...

Mas nossa, o baiano é tiro e queda, você sabe. Ele falou, de longe eu já sei, esse cara é baiano. Recifense, total, But wow, Bahia is a hit and miss, you know. They said, from a distance I already know, this guy is from Bahia. Recife, total,

e ainda mais se a pessoa usar alguma expressão que é muito nossa. and even more so if the person uses an expression that is very much ours.

Quando eu escuto um sotaque carioca, eu consigo identificar muito facilmente. O de São Paulo, eu confundo um pouco mais, porque tem o paulistano e o paulista, When I hear a Rio accent, I can identify it very easily. The one in São Paulo, I confuse a little more, because there are paulistano and paulista,

então eu fico um pouco mais confuso. so I get a little more confused.

Eu acho que consigo perceber mais pelas gírias, inclusive. Tipo, gíria de São Paulo, pode pá... Não tem, acho, outro estado que fala pode pá. I think I can understand more through the slang, including. Like, slang from São Paulo, please... There isn't, I think, another state that speaks, please.

Acho, até, que é como reconheço outras pessoas, né, pelo sotaque também. I even think that's how I recognize other people, right, by the accent too.

O sotaque de Volta Redonda eu não consigo identificar de jeito nenhum, porque as famílias são muito mistas. Então, em Volta Redonda varia muito por família. Volta Redonda's accent I can't identify at all, because the families are very mixed. So, in Volta Redonda it varies a lot by family.

Se você veio de uma família mineira, você vai falar muito igual mineiro, se você veio de uma família do Rio, você vai falar muito igual do Rio, If you come from a Minas Gerais family, you will speak a lot like Minas, if you come from a Rio family, you will speak a lot like Rio,

mas a grande diferença do sotaque de Volta Redonda são as pessoas que falam igual mineiro. Tem muita gente que fala muito mais mineirês do que eu tô falando agora. but the big difference in Volta Redonda's accent is the people who speak like Minas Gerais. There are a lot of people who speak much more Minas Gerais than I am talking about now.

Eu até vou contar um caso curioso que aconteceu comigo esse fim de semana. Eu tenho uns amigos que a gente tem uma banda, eu toco bateria, I'll even tell you about a curious case that happened to me this weekend. I have some friends that we have a band, I play drums,

e a gente foi tocar no quintal da casa dele, e tamo lá tocando, e conversa vai, conversa vem, quando eu vejo o vizinho dele - que eu, jamais, em uma and we went to play in his backyard, and we're there playing, and talk goes, talk comes, when I see his neighbor - that I, never, in a

cidade com 12 milhões de habitantes, chegou na janela e falou: uai, mas parece que eu tô conhecendo essa pessoa, com um sotaque de Três Pontas... city ​​with 12 million inhabitants, he came to the window and said: wow, but it seems I'm meeting this person, with a Três Pontas accent...

Então, assim, foi muita coincidência, que era um amigo que fazia muitos anos que eu não via, e ele conheceu pela voz. E aí ele perguntou pra esposa dele e mostrou uma So, it was a coincidence, that he was a friend who made many years I hadn't seen, and he knew it by his voice. And then he asked his wife and showed her a

foto minha e falou assim: essa aqui é a Naila que tá ali tocando? E ela falou: é ela mesmo. Ele falou: tá vendo, eu reconheci pela voz. picture of me and said: is this Naila there playing? And she said: it's really her. He said: I recognized her by the voice.

Então, assim, o mineiro tem um sotaque muito característico. Então se a pessoa abrir a boca, você já sabe que é mineiro. So, like that, Minas Gerais has a very characteristic accent. So if the person opens their mouth, you already know they are from Minas.

Com certeza. Isso é fato. Você conversa dois minutos com a pessoa, e você viu que você conversou sozinho, você vê que é de Curitiba. Absolutely. This is a fact. You talk for two minutes with the person, and you saw that you talked alone, you see that they are from Curitiba.

Não, mas o sotaque é muito forte, ele é muito forte. Você consegue definir... eu citei aqui o sotaque só no E, né? As pessoas exaltam o E, mas não é só isso. But the accent is very strong, it is very strong. You can define... I mentioned the accent here only in E, right? People emphasizes the E, but that's not all.

A gente fala as coisas muito certas, lá. A gente define muito bem as palavras pra falar. Um exemplo muito claro é a blusa, por exemplo. We say the right things there. We define the words to speak very well. A very clear example is the blouse, for example.

A minha mulher é daqui de São Paulo e esses dias ela pegou e falou assim: tá frio, você pode pegar uma blusa pra mim? My wife is from São Paulo and these days she took it and said: it's cold, can you get me a blouse?

Falei: posso. Aí eu subi, e peguei uma blusa pra ela, uma blusa pra mim é uma blusa, um moletom, lã... Aí eu desci, tava numa sacola, e a gente foi embora. I said: I can. So I went upstairs, and I got her a blouse, a blouse for me is a blouse, a sweatshirt, wool... Then I went downstairs, it was in a bag, and we left.

Aí quando ela foi por a blusa, ela falou: não, mas não era essa blusa, era blusa de manga curta. Eu falei: então não é blusa, minha filha, é camiseta... Then when she went to put the blouse on, she said: no, but it wasn't that blouse, it was a short-sleeved blouse. I said: so it's not a blouse, babe, it's a shirt...

Então a gente tem muita divergência em relação a algumas coisas daqui, e quando a gente se encontra, a gente se une, a gente fala, realmente isso é muito errado. So we have a lot of disagreement about some things here, and when we meet, we unite, we say, this is really very wrong .

Blusa é blusa e camiseta é camiseta. A blouse is a blouse and a shirt is a shirt.

É biscoito, não bolacha. It's a biscoito, not a bolacha.

Oh... Hum... Oh... Um...

Bem, eu fui ensinado a ter certas diferenças em relação a isso. Well, I was taught to have certain differences from that.

É biscoito! It's a biscoito!

Isso eu tenho que concordar, é biscoito. This I have to agree, is biscoito.

Biscoito. E vamos às diferenças. Biscoito. And let's go to the differences.

Mas de maneira nenhuma, muito aqui, ó, é bolacha, mano, biscoito é o bagulho de polvilho. Você come de polvilho, aí suja aqui o colo, isso aí é biscoito. But by no means, listen, it's bolacha, bro, biscoito are the powder stuff. You eat it with manioc flour, there you get your lap dirty, this is a biscoito.

Agora, bolacha é bolacha recheada, bolacha de leite, bolacha de maisena, é bolacha, Nunca vi biscoito, não é possível, não existe. Now, bolacha are stuffed biscuits, milk bolacha, cornstarch bolacha, it's bolacha, I've never seen biscoito, it's not possible, it doesn't exist.

Isso é briga. Mas é biscoito. This is a fight. But it's biscoito.

Bolacha é um tapa na cara, né? Bolacha é aquela gíria antiga que os nossos avós usavam lá pra falar bolacha, fulano deu uma bolacha na cara do outro. Bolacha is a slap in the face, right? Bolacha is that old slang that our grandparents used to say slap, so-and-so threw a bolacha in the other's face.

Porque biscoito é tudo, gente, é wafer, água e sal, polvilho, recheado, enfim, do jeito que você quiser é biscoito. Because biscoitos are everything, guys, it's wafer, water and salt, sprinkles, stuffed, anyway, whatever you want it's biscoito.

Biscoito de queijo. Bolacha é aquela bolacha lá que a gente come, bolacha recheada, que vem no pacote, tá? Cheese cracker. Bolacha is that biscuits that we eat there, stuffed biscuit, that comes in the package, ok?

Mas tem escrito biscoito, não tem escrito biscoito na caixinha? É biscoito. But it has written biscoito, hasn't it written biscoito on the box? It's a biscoito.

Na verdade, esse tipo de coisa... porque, assim, pra mim, biscoito, é o que é de polvilho. O que não é biscoito de polvilho ou pão de queijo, que tem até que Actually, that kind of thing... because, like, for me, biscuit, that's what tapioca flour is. What is not tapioca flour biscuits or cheese bread, which there is even

quando é maior o povo fala que é biscoitão, pra mim o resto é tudo bolacha. when people say it is biscoitão, for me the rest is all bolacha.

Não, nesse caso eu vou dizer que não é biscoito, é bolacha. Lá a gente consome muita bolacha salgada, a cream cracker, ou a bolacha doce, No, in this case I'll say it's not a biscoito, it's a bolacha. There we consume a lot of bolacha, cream crackers, or sweet bolacha,

que geralmente o pessoal conhece como bolacha Maria, lá, e é muito consumido no café da manhã. Acho que as famílias de baixa renda consomem mais, which people generally know as bolacha Maria, there, and it's often consumed for breakfast. I think that low-income families consume more,

porque é mais acessível, né, e vem na cesta básica, e consome com café preto, café com leite... Então lá, se você falar de biscoito, é o biscoito recheado, né? because it's more affordable, right, and it comes in the basic basket, and consumes with black coffee, coffee with milk... So there, if you talk about biscoito, it's the stuffed cookie, right ?

É que a gente costuma usar bolacha, né? Bolacha recheada. Biscoito seria talvez salgado? Eu não sei. Não sei. It's just that we usually use bolacha, right? Stuffed biscuit. Was biscoito perhaps salty? I don't know. I don't know.

Toda vez que eu vejo essa pergunta na internet, essa questão, eu fico pensando como a gente diz, e eu não consegui identificar. Every time I see this question on the internet, this question, I keep thinking as we say, and I couldn't identify it.

Cara, sinceramente, eu discordo, só pelo simples fato de que eu não me importo com essa discussão. É muito raso. Dude, honestly I disagree, just for the simple fact that I don't care about this discussion. It's too shallow.

Mas eu admito que eu mudei essa percepção um tempo atrás, porque há um tempo atrás eu queria até tatuar, assim, tipo que biscoito é sem recheio, But I admit that I changed that perception a while ago, because a while ago I even wanted to tattoo, like, like biscoito is without a filling,

e aí eu ia tatuar um diagrama, assim, tipo, biscoito, recheio, biscoito, biscoito, bolacha. Tipo, tudo junto seria bolacha. and then I would tattoo a diagram, like, biscoito, filling, biscoito, biscoito , bolacha. Like, everything together would be bolacha.

Mas hoje em dia eu não ligo, sinceramente, eu acho que comecei a me preocupar com coisas maiores. But nowadays I don't care, honestly, I think I started to worry about bigger things.

Fim. Não tenho mais nada pra falar sobre isso. End. I have nothing more to say about it.