como alcançar fluência numa língua estrangeira?

A resposta simples de como alcançar fluência numa língua é questão de motivação, motivar a si mesmo. Depois de ter tido muitos alunos, estou convencido de que alunos motivados alcançam fluência, alunos desmotivados não alcançam.

Recentemente, fui abordado por uma pessoa que está envolvida no ensino de inglês para imigrantes nos Estados Unidos. Ele me pediu conselhos sobre como preparar material para eles, como livros voltados para alunos de idiomas. Provavelmente, se ele pudesse influenciar a atitude ou motivação dos alunos, ele os ajudaria mais do que criando uma lista de livros.

Motivação é a chave para o sucesso no aprendizado de idiomas. Motivação é o ingrediente mágico para o sucesso em qualquer empreitada por fluência. Eu me lembrei de um vídeo do TED de Scott Geller, “A psicologia da automotivação”.  Eu não concordo com tudo, mas vale a pena assistir. Isso é muito relevante na busca por fluência numa língua estrangeira. Em particular, estas são três perguntas que são feitas no vídeo.

Alcançar fluência – Posso conseguir?

Se a resposta para essa pergunta é ‘não’, então é melhor você parar de tentar. Se você não acredita que consegue chegar ao destino da sua jornada, por que começar? Por outro lado, se você acredita que pode se tornar fluente, você está no caminho para alcançar fluência.

Se você nunca aprendeu uma língua estrangeira, você pode não ter a confiança de que você tem competência para aprender idiomas, de que você pode fazer isso, de que você pode ser fluente. Eu sei que eu não acreditava que podia até que, 50 anos atrás, eu fiquei fluente em francês. Depois disso, eu nunca mais duvidei da minha habilidade de aprender outro idioma e me tornar fluente.

Infelizmente, só é possível adquirir esta confiança depois de ter aprendido ao menos um idioma. Entretanto, quanto mais idiomas você aprende, mais competente e mais confiante você fica. Eu sou um aluno melhor aos 70 anos do que eu era aos 16, pois eu já fiz isso muitas vezes.

 

Eu acredito fortemente que todos nós temos habilidade inata para aprender línguas estrangeiras. Nós apenas precisamos acreditar em nós mesmos, e focarmos no processo de aprendizado. Apenas precisamos desenvolver novos hábitos e nos dar o benefício da dúvida.

Tem apenas uma condição. Assim que embarcarmos numa jornada, quando você decidir aprender uma nova língua, você aceita a responsabilidade de alcançar seu objetivo. Em outras palavras, você tem que assumir o controle. Você tem que se tornar um estudante autônomo.

Isso irá funcionar?

O método de aprendizado que você está usando te permitirá atingir seu objetivo? Se você quer viajar para algum lugar, você tem que estar confiante de que o seu meio de transporte te levará ao destino que você deseja. Pela mesma razão, você tem que acreditar na estratégia de aprendizado que escolheu. Se você acredita que seu método de aprendizado não funciona, você deveria trocar de método.

Se você não acredita no método que você esta usando, ele não funcionará pra você. Se você acreditar no método, é mais provável que você empenhe mais tempo e esforço necessário para o sucesso, e a sua crença no processo vai de fato aumentar a efetividade do método escolhido. Eu me refiro a isso como o efeito placebo em um vídeo recente.

Na minha visão, a estratégia de aprendizado mais efetiva é a de entrada massiva de informações, ouvindo e lendo , usando conteúdos interessantes que você tenha escolhido. É claro que precisamos começar com material de iniciante, que pode não ser tão interessante, mas podemos passar a usar material autêntico e interessante de maneira surpreendentemente rápida com ferramentas como o LingQ.

Isso quer dizer que você deve adquirir um grande vocabulário e um alto nível de compreensão, base sobre a qual você irá construir outras habilidades. Estou convencido da eficácia desta abordagem por experiência própria e por ter lido resultados de pesquisa sobre aquisição de idiomas. O fato de essa abordagem ter funcionado para mim na aquisição de mais de 10 idiomas apenas reforçou minha crença.  Eu sei que ler conteúdos interessantes no idioma no meu iPad, ou ouvir um áudio book enquanto passeio com meu cachorro, ou dirigindo, não é apenas agradável, mas também aumenta minhas habilidades no idioma.

Se você está familiarizado com o idioma, com a maneira de pensar na nova cultura e, se conhecermos muitas palavras, a habilidade de nos expressar natural e claramente no novo idioma pode se desenvolver facilmente. Por outro lado, começar preocupado com a gramática (link to Steve’s vídeo) e esperando falar de maneira significativa quando temos problemas para entender o que as pessoas estão dizendo, soa como colocar o carro na frente dos bois.

Existem muitas pessoas, entretanto, que pensam que nos devemos falar desde o primeiro dia (link to Benny Lewis’ vídeo). Se a pessoa acreditar nesta abordagem e gostar, e se conseguir usá-la, eu tenho certeza de que irá funcionar. Certifique-se de que você encontre um método em que acredite e que você goste, de maneira que a resposta para a pergunta ‘vai funcionar?’ seja ‘sim’.

Vale a pena?

Nós queremos aprender o idioma? Nós gostamos do idioma? Nós gostamos de estar com pessoas daquele idioma? Nós queremos ter acesso a algum aspecto daquela cultura, como livros, filmes, música, etc.? Nós queremos viajar para o país em que o idioma é falado? Nós precisamos do idioma para nosso trabalho ou para se comunicar com amigos ou pessoas que amamos? Quanto mais respostas ‘sim’ a essas questões, mais forte será nossa motivação.

 

Além das óbvias desvantagens de poder se comunicar em outro idioma, aprender idiomas é um hábito saudável. Pesquisas mostram que aprender e falar outro idioma faz bem para nossos cérebros, reforça nossas habilidades cognitivas, nos mantêm jovens, e ajuda a evitar demência quando estivermos mais velhos.

O aprendizado de idiomas necessita de comprometimento e, portanto, é importante que sintamos que o esforço vale a pena. Quando eu começo em um novo idioma, eu luto com conteúdo que não é muito interessante, e ainda assim, difícil de entender. Em geral, em alguns meses eu consigo acessar conteúdo do meu interesse, mas que continua difícil, certamente mais difícil do que ler no meu próprio idioma. Quando eu começo a falar no idioma, eu luto para entender e encontrar as palavras que quero. O autoflagelo vale mesmo a pena?

Para mim vale. Eu sei que eventualmente eu irei aproveitar livros, filmes e amizades no idioma. Sinto-me sortudo por conseguir falar 15 idiomas. É indescritível a alegria e os benefícios que a habilidade de me comunicar em cada um dos idiomas que falo me traz. Meu único arrependimento é que eu não tenho tempo de focar mais em cada um deles. Cada um deles é uma janela para um novo mundo, uma nova expressão do que é ser um ser-humano.

Então, se você quer se tornar fluente num idioma, mas está faltando motivação, faça as três perguntas a si mesmo.  Se a resposta for ‘sim’ para todas as três, você está no caminho correto. Se você responder ‘não’ para alguma delas, então você deve abandonar seu objetivo de fluência ou encontrar razões para dizer sim. É tudo uma questão de mente sobre o cérebro.

Follow LingQ members on their language learning journey.


We will not share your data with third parties and you will only receive newsletters from LingQ.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *